LITERATURA

Mia Couto e Maria Bethânia: um encontro poético 

Escritor lançou segundo volume da trilogia “As areias do imperador”

Rio de Janeiro (RJ)

,
Maria Bethânia leu trechos do romance “Sombras da água” (Cia. das Letras), o último a ser lançado pelo escritor / Reprodução

Mia Couto e Maria Bethânia: um encontro poético 

Na última segunda-feira (26), a sala Cecília Meireles, no Centro do Rio, foi palco de um encontro inesquecível. Lá, estiveram juntos a cantora Maria Bethânia e o escritor moçambicano Mia Couto. Ela, dona de uma voz potente e apaixonada por literatura. Ele, autor de uma vasta produção, que inclui romances, poemas, contos e crônicas. O resultado só podia ser maravilhoso. E foi.

Na ocasião, Maria Bethânia leu trechos do romance “Sombras da água” (Cia. das Letras), o último a ser lançado pelo escritor. Este é o segundo volume de uma trilogia chamada “As areias do imperador”, que se iniciou com o belíssimo “Mulheres de cinzas”. Com este livro, os leitores fazem uma viagem no tempo e chegam ao século 19 em Moçambique, guiados pela narração da jovem Imani e pelas cartas escritas pelo sargento português Germano de Melo. 

Nesta, e em tantas outras obras de Mia Couto, a poesia se mistura à prosa e nos permite, com uma linguagem sensível e bastante sedutora, conhecer um pouco melhor a história, a cultura e as tradições deste país tão distante do nosso. Vale a pena conhecer Mia Couto!