Educação

No Paraná, estudantes ocupam colégio contra a reforma do ensino médio

Após mobilização estudantil na região Metropolitana de Curitiba, outras ocupações estão previstas para esta semana

São José dos Pinhais (PR)

,
Os estudantes também denunciam a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241, que afeta a expansão dos serviços públicos e limita os investimentos em saúde e educação / Camilla Hoshino

Cerca de 200 estudantes secundaristas ocuparam na noite desta segunda-feira (3) o Colégio Estadual Padre Arnaldo Jansen, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, contra a Medida Provisória (MP) publicada pelo governo de Michel Temer (PMDB) sobre a reforma do ensino médio. A ocupação também denuncia a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241, que afeta a expansão dos serviços públicos e limita os investimentos em saúde e educação. De acordo com os estudantes, que mobilizam dezenas de escolas da região, outras ocupações estão previstas para esta semana. 

A estudante Marcyeli da Cruz Rissi conta que a decisão de ocupar o colégio surgiu após um debate realizado em praça pública na última semana, ao qual compareceram 27 das 30 escolas da região. “Somos contra a exclusão de disciplinas, o congelamento dos salários públicos e o aumento da carga horária de ensino”, afirma a estudante, que precisa dividir seu tempo entre o trabalho e a escola. 

Ao mesmo tempo que se caracteriza como um ato político, a ocupação busca ser um processo pedagógico para os estudantes. Marcyeli explica que a organização de quem participa do protesto na escola se constrói desde o momento da limpeza, produção de cartazes e panfletos até os debates e oficinas, que contam com o auxílio de universitários e professores de Sao José dos Pinhais, Colombo e Curitiba.

"Acredito que a formação também seja uma das principais preocupações dos estudantes no momento", diz Valquíra da Silva, servidora municipal e mãe de uma das estudantes presentes na ocupação. Valquíria, que acompanhou durante alguns meses os debates e estudos que os estudantes realizaram, sobretudo sobre o PL 257, PEC 241 e Reforma do Ensino Médio, afirma que parte das mães e pais tem sido solidária com o movimento, levando cobertores e estrutura para a manutenção do local. 

Medida Provisória 

Entre as mudanças previstas na MP do Ensino Médio está a diminuição do conteúdo obrigatório lecionado, sendo ele concentrado nas áreas de ciências naturais, linguagens, matemática, ciências humanas e formação técnica e profissional. Além disso, uma das intenções do Ministério da Educação é incentivar que as escolas adotem o ensino em tempo integral. Isto significa que o que atualmente soma 800 horas por ano, de acordo com o MEC, deve ser ampliado pata 1,4 mil. 

 A expectativa é de que essas mudanças comecem a ser aplicadas a partir de 2017, conforme a capacidade de cada rede de ensino.

Em repúdio às propostas do governo Temer relacionadas à educação, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato) realiza nesta quarta-feira (5) um ato com a categoria a partir das 10h, na Praça Santos Andrade, no Centro de Curitiba. O movimento CWB Contra Temer também convoca uma manifestação em defesa da educação pública para este domingo (9), às 15h, na Praça Santos Andrade.