Opinião

Artigo: Fanático por golpe, Aécio tenta manobra em Minas

Aécio golpeou mineiros 12 anos

Belo Horizonte

,
Aécio, malandramente, quer tirar o cargo do governador Fernando Pimentel, democraticamente eleito no primeiro turno / José Cruz / Agência Brasil

A bancada de deputados estaduais do PSDB, por meio do senador derrotado Aécio Neves, tenta mais um golpe, desta vez em Minas Gerais. Aécio, malandramente, quer tirar o cargo do governador Fernando Pimentel, democraticamente eleito no primeiro turno.

Para concluir o golpe, Aécio precisa do apoio da bancada de deputados do PMDB em Minas. Ele só esqueceu que o PMDB mineiro tem uma relação sólida com o PT no estado, que já dura desde o bloco Minas sem Censura, opositor dos governos PSDB e que denunciou as falcatruas tucanas.

O processo para o golpe passaria pelo julgamento de Fernando Pimentel pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ) através da Operação Acrônimo, a mesma que denunciou o Ministro tucano da Justiça do Governo Temer pelo recebimento de 5 milhões de reais. Como petista é perseguido e tucano sequer é investigado, o STF arquivou o caso. Além do mais, Aécio acaba de ser novamente delatado pela Andrade Gutierrez e o 

PSDB finge não saber.

Golpe é a ação que o derrotado Aécio Neves mais gosta de praticar. Golpeou os mineiros durante os 12 anos de gestão do 

PSDB, deixando o estado afundado em dívidas. Também deixou de investir R$8 bi na educação e na saúde, como uma espécie de precursor da PEC 241. Ao ser derrotado nas urnas nas eleições presidenciais de 2014, Aécio pediu recontagem de votos. Posteriormente, aliou-se aos golpistas Eduardo Cunha e Michel Temer, golpeando a presidenta Dilma Rousseff e o voto de mais de 54 milhões de brasileiros. Diante de tais golpes, é preciso defender a democracia, além de lutar contra a PEC 241, que congela os investimentos públicos nas áreas sociais.

*Rogério Correia é deputado estadual pelo Partido dos Trabalhadores (PT).