Editorial

A educação em luta e o governo Beto Richa

Esperamos que não se repitam os episódios trágicos de repressão e falta de respeito com trabalhadores no Paraná

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Os editoriais do grupo GRPCOM, dono do jornal Gazeta do Povo e da TV RPC, insistem no falso rótulo de que os estudantes não sabem pelo que lutam / Latuff

O número de escolas ocupadas no Paraná já passou de 770 até o fechamento dessa edição. É o maior movimento de estudantes até agora no Brasil. Isso porque o governo Temer decidiu, sem consultar ninguém, introduzir mudanças no ensino médio com a Medida Provisória (MP) 476. O congelamento por vinte anos dos investimentos em Saúde e Educação também é muito criticado, por meio da chamada PEC 241.

Na contramão da vontade popular, os editoriais do grupo GRPCOM, dono do jornal Gazeta do Povo e da TV RPC, insistem no falso rótulo de que os estudantes não sabem pelo que lutam. Mas, quem visita uma ocupação encontra situação diferente. O clima é de organização estudantil, estudos, debates. A rede de apoio envolve advogados, professores, doações de alimentos e materiais de limpeza.

A fala do governador Beto Richa (PSDB), também condenando as ocupações, mostrou que, outra vez, não entende as exigências da sociedade, mesmo depois da repressão contra os servidores públicos, no dia 29 de abril de 2015. Agora, com novas lutas de educadores e servidores estaduais, esperamos que episódios trágicos de repressão e falta de respeito com trabalhadores não se repitam neste ano. Estudantes e sindicatos unidos formam uma voz importante na defesa dos direitos.