PROTESTO

Centrais sindicais organizam nova paralisação para 11 de novembro

Organizações apostam em greve geral contra propostas do governo não eleito de Michel Temer

Belo Horizonte

,
A paralisação deve ocorrer no dia 11 de novembro envolvendo diversas categorias / Mídia NINJA

As centrais sindicais brasileiras preparam uma greve nacional contra medidas que o governo não eleito de Michel Temer (PMDB) vem anunciando e colocando em prática. A paralisação, que deve ocorrer no dia 11 de novembro envolvendo diversas categorias, faz parte da preparação para uma greve geral no país.

As entidades têm como principais críticas a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241 que congela investimentos públicos nos próximos 20 anos; o Projeto de Lei Complementar (PLC) 257, plano de resgate financeiro a estados e municípios que impõe congelamento dos reajustes salariais de servidores públicos; a reforma da Previdência; a Medida Provisória que altera o ensino médio; e a reforma trabalhista, que envolve a terceirização em todas atividades e a flexibilização da CLT.

“As medidas já anunciadas pelo governo golpista e as iniciativas recentemente aprovadas ou em curso no Congresso Nacional, como a PEC 241, apontam numa única direção: retirar direitos da classe trabalhadora”, afirma a Central Única dos Trabalhadores (CUT) em nota. 

Envolvimento

O dia de greve nacional conta também com o envolvimento da Frente Brasil Popular – articulação de movimentos populares, organizações feministas e estudantis, entidades sindicais e partidos políticos. A Frente, em nota, declara que o atual momento está marcado por um “pacote de maldades do governo Temer, que em conjunto com o Congresso Nacional tem imposto uma série de derrotas aos interesses do povo brasileiro”. A Frente Povo Sem Medo, que também envolve diversas organizações, deve se somar à paralisação.