Dia de Luta

Manifestação no Rio reúne mais de 15 mil pessoas contra a PEC 241

Centro da cidade ficou lotado de jovens estudantes, trabalhadores e militantes de movimentos populares

Rio de Janeiro

,

Ouça a matéria:

Povo vai para a rua dizer "não" à PEC 241, nessa segunda-feira (24) / Mídia Ninja

O centro do Rio de Janeiro ficou tomado na tarde e noite de segunda-feira (24). Movimentos populares, sindicatos de trabalhadores e estudantes participaram de uma manifestação contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241, que entrará em votação em segundo turno na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (25).

Mais de 15 mil pessoas foram às ruas do Rio protestar contra a medida que pretende congelar os investimentos públicos por duas décadas. “Hoje é um dia nacional de luta contra a PEC 241 e em defesa dos nossos próximos 20 anos. Nossa luta é contra os ataques do governo [de Michel] Temer e, juntos, mais de 200 movimentos vieram para rua dizer aqui não vai passar. [A PEC] Não vai ser implementada”, afirma Vitor Guimarães, da coordenação nacional do Movimento de Trabalhadores Sem Teto (MTST).

Confira a versão em áudio da reportagem (para baixar o arquivo, clique na seta à esquerda do botão compartilhar):

O ato no Rio foi convocado pelas Frentes Brasil Popular, Povo sem Medo e Esquerda Socialista, entre outras organizações. O integrante da direção nacional do Movimento de Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Marcelo Durão, destacou os prejuízos que a PEC pode trazer ao país. “Hoje os movimentos populares estão nas ruas para barrar essa PEC que vai congelar os gastos da saúde, educação e diversos serviços. Isso vai prejudicar diretamente à classe trabalhadora. Temos uma série de mobilizações programadas com o objetivo de barrar essa medida”, explica Marcelo Durão.

Os estudantes secundaristas, que no ano passado protagonizaram a jornada de luta em defesa da educação e ocuparam diversas escolas no estado do Rio de Janeiro, também estavam presentes nesse protesto contra a PEC 241. “Estamos ocupando as ruas e as escolas para barrar essa PEC que vai decretar o fim da educação pública. Vai cortar as bolsas dos estudantes, os salários dos professores, acabar com laboratórios e os concursos públicos. E ainda querem retirar dos nossos currículos disciplinas importantes, isso porque eles querem que a gente seja nada mais que mão de obra barata para os grande empresários nos explorarem”, critica o secundarista Ruan Vidal, presidente da Associação de Estudantes Secundaristas do Estado do Rio de Janeiro.

Os estudantes universitários e de cursos técnicos do Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ) também foram protestar. Três campus da instituição estão ocupados desde a semana passada em protesto à votação da PEC 241. “Nós estamos em luta contra a PEC que, na verdade, é para favorecer banqueiros e empresários. Essa proposta é contra os trabalhadores porque o governo quer cortar recursos da saúde e da educação para garantir o pagamento dos juros aos bancos”, afirma estudante Gabriel Esperança, do Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ).

Além do Rio de Janeiro, nessa segunda, também aconteceram manifestações em Brasília (DF), Porto Alegre (RS), Ouro Preto (MG) e Joinville (SC).

Edição: Simone Freire.