Decisão histórica

Assembleia da ONU aprova, sem votos contrários, resolução pelo fim do bloqueio a Cuba

Fim definitivo do bloqueio, no entanto, depende de aprovação do Congresso estadunidense

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

Baixar
Esta é a vigésima quinta vez consecutiva que um texto sobre este tema vai a votação nas Nações Unidas / ONU/Manuel Elias

A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou, na tarde desta quarta-feira (26), resolução que pede o fim do embargo econômico a Cuba. O resultado foi de 191 votos contra a imposição do bloqueio, duas abstenções (Estados Unidos e Israel) e nenhum voto a favor do embargo.

Ao discursar, antes de depositar o voto na sessão, a embaixadora norte-americana, Samantha Power, informou a decisão do país de se abster e foi aplaudida durante o discurso. Esta é a vigésima quinta vez consecutiva que uma resolução com este conteúdo é analisada pelo órgão deliberativo da ONU.

Confira a versão em áudio da nota (para baixar o arquivo, clique na seta à esquerda do botão compartilhar):

No ano passado, a resolução já havia sido aprovada com uma votação recorde: todos os Estados-membros foram favoráveis, mas Estados Unidos e Israel se mantiveram contrários.

O texto da resolução deste ano reconhece os avanços nas relações entre os governos dos Estados Unidos e Cuba e relembra a visita feita pelo presidente Barack Obama ao país em março. Além disso, pede que o Congresso estadunidense retire a sanção. “A medida segue vigente com graves efeitos para a população cubana e para os cubanos residentes em outros países”, diz a resolução.

No ano passado, as relações entre os dois países foram retomadas, mas o fim do embargo econômico, comercial e financeiro imposto contra Cuba continua a ser a questão de maior interesse para o povo cubano. O bloqueio foi imposto em 1962 por John Kennedy.

*Com informações da Rádio ONU

Edição: José Eduardo Bernardes