EDUCAÇÃO PÚBLICA

Opinião | A reforma do ensino médio vai nos converter em uma sociedade alienada

Estudantes secundaristas do Rio repudiam a reforma do ensino médio promovida pelo governo Temer

Rio de Janeiro (RJ)

,
Proposta de Temer vai contra as reivindicações de estudantes durante ocupações de escolas ocorridas em 2015 / Pablo Vergara

A reforma do ensino médio vai contra as reivindicações que, nós, estudantes secundaristas, lutamos para conseguir durante as ocupações de 2015. Uma de nossas pautas é justamente o aumento de um para dois tempos nas disciplinas de sociologia e filosofia.

Com essa reforma, proposta pelo governo de Michel Temer (PMDB), essas disciplinas, que já não são valorizadas, serão colocadas de lado. Acreditamos que essa seja uma forma que acharam para que os estudantes não tenham noção da farsa que existe por trás dessa cortina política, para que não identifiquemos toda a corrupção que existe nesse governo.

Porém, como pôr em prática essa mudança da reforma que está tão perto de começar? Nem a quantia da verba que tanto lutamos para conseguir, consegue suprir todas as necessidades da educação.

Como o governo cria uma reforma “a favor do povo”, sem ao menos consultá-lo? Simplesmente Temer quer nos fazer acreditar que uma reforma tão egoísta seja algo bom para todos os estudantes. Eles estão dispostos a pressionar os estudantes, para que a gente perca a força e assim parar de reivindicar nossos direitos. Os jovens estão se afastando das escolas não pela carga horária mas sim pelo ensino escasso, atrasado e nada incentivador que o governo nos oferece.

Acreditamos que a mudança não deveria ser do ensino médio, mas sim da forma que o governo financia a educação, a saúde e a segurança. Em nossa concepção, o governo Temer criou essa reforma do ensino médio para retrocedermos, para nos convertermos em uma população alienada, que vive sob o poder da corrupção.

Nós não iremos nos calar diante dessa estúpida reforma, e iremos lutar para que nossas vozes sejam ouvidas e nossas escolhas sejam aceitas.

Como diz a música do Gabriel Pensador: “muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda a gente anda pra frente”. Queremos mudança, mas que nos leve para frente. Não vamos aceitar retrocesso. #OcupaTudo

*Anne Carolina e Maria Beatriz são estudantes secundaristas do Colégio Estadual Compositor Luiz Carlos da Vila