Movimentos

Polícia realiza ações ilegais contra MST: acompanhe a cobertura do Brasil de Fato

Nesta sexta-feira (4), policiais civis ingressaram em centro de formação política sem autorização judicial

Brasil de Fato | São Paulo (SP),
Brasil de Fato / Reprodução

Na manhã desta sexta-feira (4), policiais civis de Mogi das Cruzes e Guararema invadiram a Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF), em Guararema (SP). Segundo relatos de testemunhas, os policiais entraram na escola sem mandado de busca e apreensão, dispararam contra as pessoas na recepção da unidade e prenderam dois militantes. Eles afirmaram que o cerco foi feito por 10 viaturas, e os policiais não estavam identificados. 

Os policiais chegaram na escola por volta das 9h25, cercaram o local e pularam a janela da recepção dando tiros para o ar, conforme registraram as câmeras de segurança. Os militantes que estavam presentes afirmaram que os estilhaços, que acertaram uma mulher, eram de balas letais e não de borracha.

A Polícia Civil de Mogi das Cruzes afirmou ter recebido uma solicitação da Polícia Civil do Paraná para ajudar a cumprir um mandado de prisão da Operação Castra na cidade de Guararema contra Margareth Barbosa de Souza, que estaria na Enff.

A palavra significa latifúndio em latim, e a operação cumpridos 14 mandados em Quedas do Iguaçu, Francisco Beltrão e Laranjeiras do Sul, no Paraná; e também em São Paulo e em Mato Grosso do Sul.

Em nota, o movimento repudiou as ações alertando que trata-se de uma tentativa de criminalizar a organização. “Lembramos que essa ação faz parte da continuidade do processo histórico de perseguição e violência que o MST vem sofrendo em vários estados e no Paraná”, diz o texto.

O MST irá realizar um ato de repúdio ao ocorrido neste sábado (5), às 15h, na própria Enff.

Acompanhe a cobertura do Brasil de Fato:

:: Invasão de escola do MST se relaciona com conflitos agrários no PR, segundo movimento

:: Diversos movimentos populares e organizações publicam notas em solidariedade ao MST 

:: COLUNA | Mario Augusto Jakobskind | Arbitrariedade do Estado contra a ENFF precisa ser denunciada com o máximo rigor

:: MST convoca ato contra criminalização dos movimentos populares

:: Políticos, artistas e movimentos populares divulgam mensagens de apoio ao MST

:: Polícia invade escola do MST; uma pessoa fica ferida