MST

O MOVIMENTO DE MULHERES CAMPONESAS REPUDIA A AÇÃO DA POLÍCIA CONTRA O MST

"Nos solidarizamos com o MST que assim como outros movimentos sociais lutam por vida digna ao povo trabalhador"

São Paulo (SP)

,
arte do Movimento de Mulheres Camponesas em apoio ao MST / Movimento de Mulheres Camponesas

O MMC vem por meio desta nota repudiar veemente a ação truculenta da Polícia realizada nesta manhã de sexta-feira (04), onde cerca de 10 viaturas da polícia civil e militar invadiram a Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF) em Guararema (SP), do MST - Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Além de ações nos estados do Paraná e Mato Grosso do Sul.

De acordo com as informações, os policiais chegaram por volta das 09h25 em Guararema, fecharam o portão da Escola e pularam a janela da recepção dando tiros para o ar, com balas letais. Sem mandado judicial, o que é ilegal. Invadir de forma truculenta uma escola é mais um ataque violento à educação.

O MMC repudia a ação da polícia de São Paulo, se indigna com tamanha injustiça e criminalização aos movimentos populares.

Nos solidarizamos com o MST que assim como outros movimentos sociais lutam por vida digna ao povo trabalhador. Não aceitamos a sua criminalização, que visa a desestabilização da luta pela democracia, pelos direitos e pela vida digna, reafirmamos ainda que “Lutar não é crime”.

 

MOVIMENTO DE MULHERES CAMPONESAS - BRASIL