GREVE

No Pará, mobilizações do Dia Nacional de Greve e Paralisação ocupam sete cidades

Atos, marchas e ocupações foram realizados em várias cidades do Pará

Brasil de Fato | Belém (PA)

,

Ouça o áudio:

MST, MAB, CPT, LPJ e Sindicato dos Servidores Públicos realizam marcha na transamazônica, em Marabá (PA) / Lilian Campelo

No Dia Nacional de Greve e Paralisação foram realizadas ações no Pará nas cidades de Altamira, Parauapebas, Abaetetuba, Castanhal, Santarém, Cametá e Belém.



A Frente Brasil Popular estima que cerca de 11 mil pessoas de movimentos sociais, centrais sindicais, sindicatos de diversas categorias, professores, servidores e coletivos e movimentos de mulheres, negros e juventude estão presentes. Além da participação de movimentos de estudantes, universitários e secundaristas.

Confira a versão em áudio da matéria (para baixar o arquivo, clique na seta à esquerda do botão compartilhar):

Na capital Belém, a manifestação saiu do mercado de São Braz e percorreu uma das principais avenidas da capital, Almirante Barroso, seguindo em direção ao Tribunal de Justiça do Estado do Pará com o objetivo de fazer um apelo para que os direitos da classe trabalhadora não sejam retirados.

Rafael Jonathan, estudante do campus de Belém do Instituto Federal do Pará (IFPA), reforçou a adesão do movimento estudantil à luta contra a PEC: “Nós estamos na luta, junto com os servidores do IFPA contra essa PEC 241, essa PEC da morte que veio tirar todos os nossos direitos”.

Ao longo da caminhada, mais estudantes de outros movimentos foram se somando. A estimativa é de que 11 mil pessoas participaram do ato. No Tribunal de Justiça, somaram-se os trabalhadores rurais que estavam na sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Rosalina Amorim, presidenta do sindicato dos bancários, também fez uso da palavra: “A gente precisa mostrar para toda a sociedade que nós não vamos nos calar. E nós temos que gritar novamente em todo o Brasil que nós vamos pedir o 'Fora, Temer', e dizer 'não' ao ataque aos direitos dos trabalhadores”.

Cerca de 500 pessoas marcham na Transamazônica, Marabá. Com o lema "Lutar é um direito! Contra a PEC 55", os manifestantes de vários movimentos do campo e servidores públicos concentraram em frente ao Fórum de Marabá.

Na cidade de Abaetetuba, localizada a 100 km de Belém, no nordeste do estado, a sede do  Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) foi ocupada em protesto à PEC 55.