Pré-sal

Pré-sal de bandeja para os estrangeiros

Mais uma vez, seremos apenas uma colônia de exploração de recursos naturais

Curitiba (PR)

,
Com a entrega do Pré-sal, o valor que deixará de ir para saúde e educação pode chegar a R$ 50 bilhões / Geraldo Falcão

Enquanto no mundo, nos últimos 100 anos, países foram invadidos, governos derrubados e pessoas mortas por conta de petróleo, o que vemos no Brasil é um entreguismo escancarado de uma de nossas maiores riquezas naturais. A aprovação do projeto de Lei 4567/16 na Câmara dos Deputados, que desobriga a Petrobrás de participar da exploração do Pré-sal, tira o Brasil do protagonismo internacional que tinha na área de Petróleo, Gás e Energia.

O projeto é de autoria do ex-senador José Serra (PSDB-SP), hoje ministro de Relações Exteriores do governo Temer (PMDB). Este mesmo senador foi denunciado pelo site WikiLeaks: em 2009, durante sua campanha presidencial, ele prometeu à petroleira Chevron que alteraria o marco de exploração de petróleo no Brasil, para facilitar a entrada de empresas estrangeiras.

Com a entrega do Pré-sal, o valor que deixará de ir para saúde e educação pode chegar a R$ 50 bilhões, só considerando a área do campo de Libra, da qual a Petrobrás controla hoje 40% – os outros 60% já estão nas mãos de empresas estrangeiras. Mas este prejuízo pode chegar a R$ 1 trilhão, pois o Pré-sal é avaliado em mais de dez vezes a área de Libra.

Mais uma vez, seremos apenas uma colônia de exploração de recursos naturais, ficando para nós apenas os problemas ambientais, acidentes e precarização do trabalho.

A Petrobrás não é aquilo que a mídia mostra: corrupção e desvios. Ela é muito mais que isso. Que todos aqueles que causaram danos sejam investigados e, se comprovada a culpa, punidos. Mas não podemos entregar todo um projeto de nação baseado em uma dúzia de corruptos. A Petrobrás é tecnologia, desenvolvimento e soberania nacional. Por isso precisamos lutar por ela!

*Gerson Castellano é integrante da Federação Única dos Petroleiros (FUP) e do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Petroquímica do Paraná (Sindiquímica)