EDUCAÇÃO

Estudantes protestam em frente à casa do ministro da Educação

“ESCRACHO”. Jovens trancaram avenida Boa Viagem e pintaram a rua com a frase “Xô Mendonça”.

Recife (PE)

,
Segundo os militantes, o ato foi um recado para os políticos de Pernambuco que se posicionam a favor da PEC 55 e da Reforma do Ensino Médio. / Amauri Lins/Levante Popular da Juventude

Na tarde dessa sexta-feira (18) cerca de 50 pessoas, em sua maioria estudantes, realizaram um protesto em frente a casa do ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), no bairro de Boa Viagem, zona sul do Recife. O ato político utilizou elementos culturais e, por cerca de 30 minutos, fechou o trânsito da Avenida Boa Viagem, na orla da praia, via na qual foram realizados os atos que pediam o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff.

O grupo, composto majoritariamente por estudantes que militam no Levante Popular da Juventude, cantaram músicas contra a Proposta de Emenda Constitucional – PEC 55, contra a Medida Provisória 746 (MP do Ensino Médio) e pedindo as saídas imediatas de Michel Temer (PMDB) da presidência e de Mendonça Filho do Ministério da Educação. Uma das faixas dizia “Xô Mendonça”. Durante o ato foi pintado no chão, em frente ao prédio do ministro, a frase “Xô Mendonça Golpista”. Jovens fantasiados e com máscara do ministro e do presidente não-eleito encenaram uma esquete em que vendiam pequenos sacos de gelo “nos sabores” Educação, Saúde, Previdência e Segurança, em alusão à PEC 55, apelidada de PEC do Congelamento, já que visa congelar por 20 anos os gastos nas referidas áreas. O ato foi transmitido ao vivo pela página do Brasil de Fato Pernambuco na rede social Facebook.

O fisioterapeuta Josemar Ramos, militante do Levante Popular da Juventude, afirma que o protesto em frente à residência de Mendonça foi apenas um recado. “É para que o ministro golpista da Educação e toda a sua corja – que têm atuado contra o direito à educação pública, gratuita e de qualidade – saibam que a juventude não vai ficar parada. Vamos persegui-lo onde ele for, mostrando que a política que estão fazendo não representa a juventude do Recife, de Pernambuco e nem do Brasil. E que esse recado fique claro para todos os políticos pernambucanos, governadores, deputados, senadores”.

A estudante de ensino médio Iasmin Beatriz, disse julgar importante que a juventude confronte diretamente o ministro. “Queremos que ele saia do poder. Mendonça Filho apoia projetos que prejudicam as classes mais pobres da sociedade, projetos como a PEC 55 e a Reforma do Ensino Médio, que foi escrita por ele. São projetos em que os ricos não serão afetados, pois não precisam da Educação e nem da Saúde pública”, disse a estudante, que desde o dia 16 está ocupando a tradicional escola Ginásio Pernambucano. “É importante que nós, os afetados, confrontemos ele. Protestamos em Boa Viagem, bairro de classe média, para mostrar para o ministro e para os moradores daqui que nós não aceitaremos isso”.

O ato, chamado de “escracho” pelo movimento, também é contra outros representantes do Governo Federal, segundo Josemar. “Também é contra esse governo ilegítimo, formado por homens brancos, heterossexuais, ricos e com uma ideologia neoliberal, que pensam em 'equilibrar a economia do País' cortando investimentos justamente das áreas que a população mais precisa, como Saúde, Educação e Moradia, que são nossos direitos básicos”, reclamou.

Ramos opina que os posicionamentos do ministro da Educação pernambucano contradizem o a história de Paulo Freire. “Em Pernambuco nos orgulhamos de ser conterrâneos de Paulo Freire, que foi tão importante para pensar uma pedagogia na qual o aprendizado se faz com uma troca entre os indivíduos. Mas hoje temos como o principal mentor e uma política de retrocessos um pernambucano, no posto de ministro da Educação. Essa é uma luta que também envolve a história e o nome do nosso estado”. Mais de 20 centros de ensino estão ocupados em Pernambuco, entre universidades, institutos federais e escolas de ensino médio.