Mobilizações

Camponesas se mobilizam em seis regiões do RS nesta sexta (25)

Ações integram atividades que ocorrem nacionalmente pelo dia latino-americano e caribenho contra a violência a mulher

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
Ato das mulheres da Via Campesina em março deste ano em Porto Alegre (RS) / Catiana de Medeiros

As mulheres dos movimentos do campo ligados à Via Campesina realizam, nesta sexta-feira (25), uma série de mobilizações em seis regiões do estado do Rio Grande do Sul no Dia Latino-Americano e Caribenho de Luta Contra a Violência às Mulheres. Atos e outras atividades estão previstas nos municípios de Porto Alegre, Santa Maria, Santana do Livramento, São Gabriel e Alegrete, São Luiz Gonzaga, Palmeira das Missões e Pelotas.

As camponesas, aproveitando as mobilizações da efeméride, pretendem denunciar como medidas do governo federal afetam às mulheres, como a Reforma da Previdência que o presidente não eleito Michel Temer (PMDB) deve encaminhar ao Congresso Nacional ainda este ano, e a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 55, que congela investimentos públicos em saúde e educação por 20 anos.

“Vamos denunciar os vários tipos de violência que as mulheres sofrem, especialmente as mais pobres que cumprem jornadas duplas e triplas de trabalho e estão com seus direitos ameaçados com as medidas do governo de Michel Temer”, explica Roberta Coimbra, assentada do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), organização que faz parte da Via Campesina.

Na capital do estado, haverá uma Audiência Pública sobre as alterações na previdência na Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, às 14h. A reunião foi convocada em conjunto com a Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Casa.

Ela explica que as atividades integram outras mobilizações que ocorrerá nacionalmente pela efeméride. Em São Paulo, por exemplo, mais de 20 entidades convocam a manifestação "Nem uma a menos! Basta de violência contra as mulheres",  marcada para às 14h, na Praça do Patriarca.

O Dia Latino-Americano e Caribenho de Luta Contra a Violência às Mulheres é uma data histórica que relembra o assassinato, em 1960, das irmãs Mirabal Reyes durante a ditadura da República Dominicana, no Caribe.

Edição: Simone Freire.