Caribe

Jovenel Moise (PHTK) é eleito presidente do Haiti

Candidato é o mesmo que venceu o pleito em 2015, que foi contestado por fraude

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
Jovenel Moise em entrevista para TV haitiana / Reprodução/ Facebook/Jovenel Moise

O novo presidente do Haiti é Jovenel Moise, do Partido Haitiano dos Cabeças Rapadas (PHTK), eleito no primeiro turno com 55,67% dos 1.069.646 votos válidos. Os resultados preliminares foram divulgados na noite desta segunda-feira (28) pelo Conselho Eleitoral Provisório (CEP).

Moise foi seguido por Jude Celestin, do Lapeh, genro do ex-presidente Preval e apoiado pelos movimentos camponeses do país. Celestin obteve 19,52% os votos válidos (208.837).

Ao total, 28 candidatos concorreram à Presidência da República no dia 20 de novembro, pouco mais da metade dos 54 que disputaram as eleições anuladas em 2015.

Jovenel Moise conseguiu, pela segunda vez, o 1º lugar nas eleições. Em 2015, ele iria para segundo turno contra Jude Celestin, ou seja, não houve diferença entre os resultados das duas eleições.

A ordem de votação dos principais candidatos também foi a mesma da eleição do ano passado: Jude Celestin foi seguido de Moise Jean Charles, da Plataforma Petit Dessalines, com 11,04%; em seguida estava Marise Narcise, do Fanmi Lavalas, com 8,99%. Os demais não atingiram individualmente 1% da votação.

O comparecimento às urnas também foi menor do que em 2015, quando 1,5 milhão de eleitores registraram seu voto. Nesta última votação, participaram apenas 1,09 milhão de um universo de 5,5 milhões. O maior número de abstenções foi nas zonas atingidas pelo furacão Matthew, que praticamente destruiu departamentos inteiros, como o de Nipes e Jeremy, causando cerca de mil mortes no dia 6 de outubro.

Por conta do desastre natural, a votação que estava marcada para 9 de outubro teve de ser adiada.

Histórico

O processo eleitoral do Haiti, que começou em agosto do ano passado, foi tumultuado por violência e fraudes denunciadas pela oposição como um “golpe de estado eleitoral”.

Com atraso de um ano, o processo foi convocado pelo presidente Michel Martelly (PHTK), eleito em 2010 após o terremoto e com o apoio da então secretaria de Estado dos EUA, Hillary Clinton. Como o decreto eleitoral assinado por Martelly colocava como única exigência para ser candidato à presidência a assinatura de 20 eleitores, o pleito contou com 54 candidatos.

O primeiro turno da eleição presidencial aconteceu em 25 de outubro de 2015. As cédulas, impressas em Doha, estavam nitidamente marcadas com um fundo vermelho na foto do candidato de Martelly, Jovenel Moise. 

Mobilizações de protesto dos partidos populares durante os meses de novembro e dezembro levaram à deposição de Martelly e à anulação do processo, com a marcação de novas eleições para maio deste ano. No entanto somente na metade deste ano houve consenso dentro do Conselho Eleitoral Provisório sobre a nova votação.

O resultado anunciado nesta segunda-feira (28) é preliminar. O resultado final está marcado para 29 de dezembro, depois de apreciados todos os recursos e impugnações. Apesar dos protestos dos partidos de esquerda, dificilmente essa decisão será modificada

Quem é o novo presidente haitiano

Jovenel Moise tem 48 anos e nasceu no departamento do Nordeste, região pobre do Haiti. Comerciante, trabalhou com revenda de peças de automóveis e material mecânico até se dedicar à agricultura.

Atualmente, ele é sócio do ex-presidente Martelly em um negócio de exportação de bananas orgânicas para a Alemanha. Eles detêm um latifúndio de 700 hectares de terras no Nordeste do Haiti. No país, as propriedades médias para a agricultura são de 0,5 ha.

De sua atividade econômica veio o apelido “Neg Banan” (Negro Banana), utilizado em sua campanha eleitoral.

*com informações da Brigada Dessalines

Edição: Camila Rodrigues da Silva