BRASILEIRÃO

Que 2017 seja melhor para clubes pernambucanos

Equipes locais não conseguiram apresentar evolução no campeonato deste ano

Recife

,
Pernambucanos Santa Cruz e Sport fizeram uma Série A abaixo das expectativas das torcidas e dos próprios clubes. / Antônio Melcop/ Ascom Santa Cruz

Tente outra vez. O ano de 2016 não foi bom para os clubes pernambucanos, especialmente no Campeonato Brasileiro. Sport, Santa Cruz, Náutico, Salgueiro, América, Central e Serra Talhada representaram o futebol de Pernambuco nas quatro divisões nacionais, mas nenhuma das equipes conseguiu seus objetivos. O primeiro semestre até criou expectativa em algumas torcidas, mas o ano se encerra trazendo para os clubes a tarefa de refazer seus planejamentos.

O título inédito da Copa do Nordeste, somado ao título do Pernambucano, deixou a torcida do Santa Cruz em êxtase. O bom início na Série A, para a qual retornara após 10 anos, também alimentou sonhos distantes da realidade tricolor. Esta chegou com violência: na da 16ª à 34ª rodada foram 18 jogos dos quais o Santa Cruz só venceu uma única partida. Foi a entrada, sem volta, na zona do rebaixamento. Uma defesa insegura e um meio-campo improdutivo comprometeram o desempenho da boa dupla de atacantes do Clube Coral. O objetivo de permanecer na Série A não se concretizou e o Santa Cruz acaba 2016 rebaixado, de volta à Série B.

Já o vizinho, da Ilha do Retiro, é o único clube de Pernambuco com o ano de 2017 ainda incerto. Mas as perspectivas não são boas. Na melhor das possibilidades o Leão permanece na Série A, mas sem vaga na Sulamericana e muito menos na Libertadores – sonho quase alcançado em 2015. O Sport joga a última rodada do Brasileirão no próximo dia 11 ainda com chances de ser rebaixado à Série B, caso seja derrotado e o Internacional-RS vença sua partida. Com desempenho irregular durante todo o ano, o Sport não levou o título em nenhuma competição que participou, não conquistou vagas em torneios continentais e ainda corre risco de queda.

O ano foi ainda pior para o Náutico, que teve uma temporada para fazer jus à má-fama de perder em momentos decisivos. Fora da Copa do Nordeste, o clube da Rosa e Silva teve tempo de sobra para se preparar para o Pernambucano e Copa do Brasil – nesta, foi eliminado na 1ª fase diante do Vitória da Conquista-BA, enquanto no estadual fez uma boa campanha, mas no primeiro mata-mata perdeu para o rival Santa Cruz. Na Série B foi mediano, mas se manteve flertando com o G4. Na última rodada, uma vitória simples levaria o Timbu à Série A, mas a derrota em casa por 2x0 diante do Oeste-SP deixou o Alvirrubro em 5º lugar pelo segundo ano consecutivo.

Do Sertão, o Salgueiro jogará pelo 6º ano consecutivo a Série C. Este ano o Carcará ficou apenas na 8ª colocação do Grupo A, longe do G4 que o levaria à segunda fase, mas muito perto das duas últimas colocações que colocariam o clube sertanejo na Série D 2017. O Salgueiro escapou por um ponto. No primeiro semestre a equipe ficou em 4º lugar no Campeonato Pernambucano e chegou a passar da primeira fase na Copa do Nordeste.