NO E LOW POO

Limpos sim, e sem shampoo!

Técnica de lavagem dos cabelos sem ou com pouco shampoo chama atenção para saúde dos fios

Belo Horizonte,
“Hoje me sinto muito mais bonita e confiante com os meus cabelos”, conta Nataly Sgoviah / Amélia Gomes

Uma nova técnica vem fazendo a cabeça de quem quer manter os cabelos limpos e hidratados: o uso do “Low Poo” e “No Poo”. Os termos parecem difíceis, mas a regra é simples: diminuir (Low = Pouco) ou anular (No = Não) o uso do shampoo (Poo = Shampoo). A prática alerta para o uso de químicos contidos nos produtos convencionais e os danos que eles podem causar nos fios capilares.

A maioria dos shampoos contém sulfatos ou petrolatos e ambos podem prejudicar a saúde do cabelo. “O sulfato é um detergente forte que retira a gordura, muito utilizado também em detergentes de lavar louças, por exemplo. Ele retira toda a camada de gordura dos fios, inclusive a camada protetora da fibra capilar, o que acarreta ressecamento dos fios” explica a blogueira e especialista em cabelos Nataly Sgoviah. Há três anos, ela criou um blog contando suas experiências e trazendo dicas sobre o no e low poo. Hoje o site é um sucesso entre os seguidores da técnica. Ela afirma ainda que ela pode ser utilizada em qualquer tipo de cabelo, lisos, crespos, cacheados, brancos e com tranças ou apliques.

Mas fica limpo sem shampoo?

Se a ideia é não usar os shampoos convencionais como então manter os cabelos limpinhos e cheirosos? Quem é iniciante na prática pode procurar uma lista com dicas de produtos de shampoos que podem ser utilizados. Mas a grande proposta da técnica é que a limpeza seja feita com condicionadores. Essa fase ficou conhecida como Coo Wash, ou seja, lavagem com condicionador ou cremes. “Assim como o shampoo, os condicionadores também têm agentes emolientes, responsáveis pela limpeza dos fios. Só que nos condicionadores esses agentes não são tão agressivos quanto os existentes nos shampoos” explica a blogueira Nataly Sgoviah. Ela alerta ainda que, assim como os shampoos, há condicionadores que contêm substâncias nocivas aos fios. Então quem pretende seguir essa técnica deve ficar atento à composição do produto e evitar aqueles que contenham silicones ou solúveis de silicones.

Passo a passo

Para começar o tratamento, é preciso criar um cronograma capilar. O primeiro passo se refere à forma de lavagem dos fios. O segundo propõe a reposição de elementos fundamentais para a saúde do cabelo. “Em cada lavagem, você repõe algum tipo de necessidade do fio; nutrição, hidratação ou reconstrução. Não exige muito trabalho e nem muito tempo, é preciso só se organizar para entender o processo,” explica a blogueira.

Para todos os fios e bolsos

Há três anos, quando aderiu ao tratamento, Nataly teve algumas dificuldades para seguir os procedimentos, como achar os produtos indicados, preços elevados e escassez no mercado de beleza. Assim, ela decidiu abrir uma loja direcionada especificamente a esse público. “Hoje em dia o mercado é bem mais diverso. Quem quer começar a técnica encontra muitas facilidades. E o custo é acessível, cabe no bolso de qualquer pessoa. Você encontra produtos específicos desde R$ 6 reais até R$ 90”,afirma a empreendedora.

Alinhando saúde e autoestima

O sucesso da técnica entre os cabelos crespos e cacheados é inegável. “Além do aspecto físico, a abolição dos químicos também é uma posição política diante da ‘ditadura química’ que imperava em cima dos fios que não são lisos naturalmente”, avalia Nataly.

A jornalista Pollyana Teixeira começou o tratamento há um mês. Ela afirma que a técnica já a ajudou a estabelecer outra relação com os cabelos. “Estou aprendendo a parar de ser enganada com produto caro cheio de parafina e silicone. Sinto agora que estou estou cuidando do meu cabelo e não maquiando”, diz.

“Fazer low/no poo dá uma sensação de empoderamento, hoje eu tenho mais consciência do que escolho comprar e usar no meu cabelo”, diz Polyanna Teixeira | Foto: Liza Mendes

Vinícius Luiz é praticante de Low poo há 2 anos. Ele afirma que no começo foi difícil se adaptar à ideia de que era possível limpar os cabelos usando pouco ou nenhum shampoo, mas agora, além de perceber uma mudança na saúde dos cabelos, a estética dos fios também melhorou sua autoestima. “Hoje eu atrelo minha autoestima ao cabelo, o dia que ele não está legal, eu também não fico legal. Vejo isso em outros pretos também, as pessoas ficam muito mais bonitas quando assumem seus crespos do que quando usam técnicas de alisamento. Acho sensacional que a gente tenha oportunidade de assumir nossa natureza e cuidar dela com os produtos corretos, para realçar nossa beleza, e não tentar esconder ou falsear tentando aderir a outros padrões. O low e no poo contribui para que a beleza dos cabelos seja aliada permanente da saúde deles”, defende.

“Antigamente eu considerava cabelo um problema, algo que ficava acima da minha cabeça que eu tinha apenas que lavar de qualquer jeito, não era uma parte do meu corpo com a qual eu tinha cuidado e não considerava uma fonte de beleza”, afirma Vinícius Luiz | Foto: Chicos