Independência

Hoje na História | Massacre da Baixa de Cassange, em Angola

Milhares são assassinados pelas forças portuguesas em uma revolta que originou a luta pela independência angolana

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

Ouça o áudio:

Angola foi a última colônia portuguesa a conquistar a independência
Angola foi a última colônia portuguesa a conquistar a independência - Reprodução

Cansados das condições de trabalho impostas pela companhia Cotonang e do governo da colônia portuguesa, milhares de trabalhadores angolanos dos campos de algodão protagonizaram um levante popular na região chamada Baixa de Cassange, no dia 4 de janeiro de 1961.

A colônia portuguesa reprimiu violentamente a revolta, assassinando milhares de trabalhadores, no que ficou conhecido como o Massacre da Baixa de Cassange. O acontecimento é considerado um dos principais motivos que causaram a luta pela independência da Angola.

A Cotonang era uma companhia de algodão luso-belga, que obteve uma concessão para plantio de algodão nessa região, e forçou os camponeses a cultivarem as fibras.

Os agricultores não tinham salário e eram forçados a vender sua produção por um valor muito abaixo do preço no mercado mundial. A obrigação de plantar algodão impedia as famílias de cultivarem seus próprios alimentos.

O poeta angolano Arlindo Barbeitos, que lutou pela independência no Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), descreve esta situação:

“As pessoas eram obrigadas a plantar algodão e era absolutamente indiferente que houvesse colheita de milho, massambala (sorgo), batata-doce, mandioca, feijão, aquilo que as pessoas comiam. Não importava, a colheita do algodão tinha que ser garantida. E o algodão só podia ser vendido a uma determinada empresa que tinha o monopólio, as balanças eram falseadas e o preço era baixíssimo. Se não produzissem o algodão devido, eram espancados. Isso são coisas que eu vi”.

Na revolta, os agricultores destruíram plantações, pontes e casas. A colônia reagiu enviando aviões da Força Aérea Portuguesa, que lançaram bombas de napalm. O número de mortes varia de mil até dez mil agricultores.

Um mês depois, o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), desencadeou um ataque contra a Cadeia de São Paulo e a Casa de Reclusão, em Luanda, iniciando a luta que acabou na proclamação da independência de Angola, no dia 11 de novembro de 1975.

----

Hoje na História

Produção e locução: Mauro Ramos

Sonoplastia: Jorge Mayer

Edição: José Eduardo Bernardes

Edição: ---