Transportes

SP: Doria planeja extinguir cobradores e aumentar tarifa paga em dinheiro

Prefeito tucano defendeu a medida enquanto vistoriava uma linha de ônibus da capital paulista; sindicato é contra

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
O prefeito andou na linha 6450-10, que liga os terminais Capelinha e Bandeira / Fábio Arantes / SECOM- PMSP

Na manhã desta segunda-feira (6), o prefeito de São Paulo João Doria (PSDB) afirmou que quer acabar com a função de cobrador nos ônibus municipais. Para isso, o tucano planeja aumentar a tarifa para quem faz o pagamento em dinheiro. Doria fez o anúncio durante a "experiência da vida real" de andar em uma linha de ônibus do Terminal Capelinha, na Zona Sul da capital paulista, até o Terminal Bandeira, região central.

O prefeito quer desestimular e zerar o número de pessoas que ainda fazem o pagamento nas catracas em espécie. Atualmente, 6% dos usuários ainda pagam a tarifa em dinheiro. Doria afirmou que a extinção ocorreria sem desempregos e que os cobradores se transformariam em motoristas. A mudança atingirá cerca de 20 mil profissionais.

O Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo é contra a proposta. Segundo a entidade, a transição não seria feita sem demissões, já que o sistema de transportes não absorveria a nova quantidade de motoristas. Além disso, a função do cobrador também é auxiliar o motorista e informar passageiros, o que agilizaria as viagens.

Pelo menos desde a gestão Paulo Maluf (1993-1996), a prefeitura estuda acabar com a categoria, mas os profissionais protestam contra a medida. Na administração do ex-prefeito Fernando Haddad (PT) a proposta foi barrada por uma ação judicial. O processo contestou a aprovação do texto na Câmara Municipal, feito como um adendo a um projeto com outra finalidade.

Hoje, de acordo com a SPTrans, os cobradores representam 10% dos custos do sistema.

Outras propostas

No início do ano, o anúncio de Doria do aumento da tarifa acima da inflação apenas para os usuários que fazem integração entre os ônibus municipais, metrô e o trem repercutiu negativamente. Na época, o Movimento Passe Livre concedeu ao tucano o "Prêmio Catraca" pelo "aumento inovador". O reajuste foi vetado no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP).

Além disso, Doria pretende também encerrar o benefício do Passe Livre para idosos acima de 65 anos.

Edição: José Eduardo Bernardes