Por que reduzir ou eliminar o consumo de bebidas açucaradas?

Podcast
Imagem do logo do Podcast

Ouça o áudio:

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que as bebidas açucaradas contribuem para o sobrepeso e obesidade
A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que as bebidas açucaradas contribuem para o sobrepeso e obesidade - Pexels
Entidades nacionais e internacionais advertem sobre os riscos do consumo frequente deste tipo de bebidas

No Brasil, 19% da população consome refrigerantes ou sucos artificiais diariamente, segundo o Ministério da Saúde. Em 2016, o órgão divulgou o dado de que entre as crianças e adolescentes, de 12 a 17 anos, os refrigerantes são o sexto produto alimentício preferido. No entanto, diversas entidades e estudos confirmam os danos que a ingestão frequente de bebidas açucaradas pode provocar na saúde humana.

Em relatório publicado em 2016, a Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que as bebidas açucaradas contribuem para o sobrepeso e a obesidade infantil, atingindo atualmente 42 milhões de crianças com menos de 5 anos em todo o mundo.

Outros dados fornecidos pela OMS são de que a ocorrência de casos de obesidade pelo mundo mais que duplicou entre 1980 e 2014. Além disso, as pessoas que consomem regularmente bebidas açucaradas (de 1 a 2 latas, ou mais, por dia), têm 26% mais chances de desenvolver diabetes, do que as pessoas que raramente consomem esse tipo de bebida.

A organização também alerta que além da diabetes, a obesidade é um importante fator de risco para doenças cardíacas, cânceres e outras doenças.

No Simpósio sobre Hidratação Saudável, realizado em 2011 na França, o Doutor Frank Hu, professor de Nutrição e Epidemiologia da Escola de Saúde Pública de Harvard, comentou os resultados e implicações de uma pesquisa realizada sobre o consumo de refrigerantes.

"Recém terminamos um estudo, e encontramos que aqueles que bebem refrigerante regularmente, isto é, uma lata por dia, ganharam uns 680 gramas em peso em quatro anos. Embora essa quantidade não parece muito, o ganho de peso pode se acumular ao longo do tempo."

Por estes motivos, a OMS fez, em seu relatório do ano passado, recomendações de políticas para combater o consumo de refrigerantes. Uma ação concreta proposta é a tributação de bebidas açucaradas, assim como ocorre em muitos países em relação ao tabaco.

Para a entidade, os governos devem realizar ações para melhorar a disponibilidade e o acesso a alimentos saudáveis, e ter uma influência positiva nos alimentos que as pessoas escolhem consumir.

---

Alimento é Saúde é produzido pela Radioagência Brasil de Fato e pelo Saúde Popular

Locução: Juliana Gonçalves

Produção: Mauro Ramos

Sonoplastia: Jorge Mayer

Edição: Vivian Fernandes