TRADIÇÃO

Blocos caricatos e escolas de samba desfilam em BH

Desfiles da cidade, que hoje é referência nacional, começaram em 1937

Belo Horizonte

,
10 blocos caricatos desfilam no dia 27 de fevereiro. No dia 28 será a vez de quatro escolas de samba / Nélio Rodrigues / PBH

Uma das manifestações mais tradicionais do carnaval de Belo Horizonte são os desfiles das escolas de samba e blocos caricatos. O evento foi realizado pela primeira vez em 1959, foi interrompido em 1992 e retomado em 2003.

Neste ano, 10 blocos caricatos desfilam no dia 27 de fevereiro, na Avenida Afonso Pena, a partir das 19 horas. Já no dia 28, a partir das 20 horas, será a vez de quatro escolas de samba de BH.

Na abertura do segundo dia, o Afoxé Bandarerê, grupo que atua na valorização da cultura negra, quebra de preconceitos religiosos e racistas e integração dos membros de religiões de matriz africana, fará sua apresentação.

Dificuldades

Francisco Gonçalves é presidente da Escola de Samba Acadêmicos de Venda Nova, tetracampeã dos carnavais de 2008, 2009, 2014 e 2015. Este ano, a agremiação desfila com o lema “Sonhos de Toninho Veterinário”, abordado a história do cuidador de animais João Antônio Teixeira, que realiza, por ano, cerca de 90 mil atendimentos a pequenos animais. Dessa forma, a escola pretende homenagear a todos os veterinários.

Francisco comenta as dificuldades da realização dos desfiles nos últimos anos. “No retorno do carnaval, em 2003/2004, houve um crescimento muito grande. A partir de 2007, tivemos alguns investimentos do governo estadual, mas a ajuda encerrou em 2010. O problema é que os custos do carnaval não caíram”, aponta.

Para ele, o investimento público nas escolas de samba pode irradiar efeitos positivos na vida das comunidades. “Escolas geram renda, emprego. Se os governantes cedem espaço a uma escola de samba, esse mesmo espaço também pode ser usado pelos blocos de rua, além de uma infinidade de grupos de teatro e diversas oficinas”, exemplifica.

O historiador Marcos Maia, estudioso do carnaval de Belo Horizonte, acredita que há uma insuficiência no tratamento do poder público às escolas, que é anterior à eclosão dos blocos de rua, em 2009. O problema foi agravado com a crise econômica, que também tem afetado as escolas de samba do Rio de Janeiro. Por outro lado, ele vê no fortalecimento dos blocos de rua algo positivo para as escolas de samba.

“Acho que este momento dos blocos tem que ser saudado pelas escolas de samba, aproveitando a visibilidade do carnaval de Belo Horizonte. A Prefeitura tem que responder às demandas que os mais de dois milhões de pessoas nas ruas da cidade provocam”, comenta.

 

Confira a programação:

 

Desfile de Blocos Caricatos – 27 de fevereiro

Início: 19h

1º Bloco Unidos da Zona Norte

2º Bloco Academia do Samba por Acaso

3º Bloco Bacharéis do Samba

4º Bloco Inocentes de Santa Tereza

5º Bloco Acadêmicos da Vila Estrela

6º Bloco Mulatos do Samba

7º Bloco Estivadores Do Havaí

8º Bloco Infiltrados De Santa Tereza

9º Bloco Corsários do Samba

10º Bloco Invasores Santo Antônio

 

Desfile de Escolas de Samba – 28 de fevereiro

Hora: Início às 20h

Abertura Afoxé Bandarerê

1º Escola de Samba Estrela do Vale

2º Escola de Samba Imperavi de Ouros

3º Acadêmicos de Venda Nova

4º Escola de Samba Cidade Jardim

Edição: Joana Tavares