CARNAVAL

Blocos de esquerda agitam o carnaval de rua do Rio de Janeiro

Milhares de foliões confirmam presença em blocos que cantam temas sociais e políticos

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,
Bloco Comuna que Pariu apresenta em seu samba enredo forte crítica à homofobia / Foto: PCB

Quem disse que política não combina com Carnaval? No Rio de Janeiro a política também caiu no samba e os blocos de esquerda estão na boca do povo.

O bloco Cordão do Prata Preta, um dos mais tradicionais do Carnaval carioca, e que sempre canta temas históricos, dessa vez festeja os 100 anos da Revolução Russa. “Os comunistas resistem”, canta o bloco em seu samba enredo.

Um dos fundadores do Prata Preta explica o tema. “A Revolução Russa é um marco, um dos acontecimentos mais importantes para a emancipação da classe trabalhadora. Até mesmo as conquistas trabalhistas e o estado de bem-estar social de países da Europa só foram possíveis graças ao medo dos capitalistas, que cederam espaço diante do avanço do socialismo”, afirma Orlando Rey, um dos coordenadores do bloco.

O tema faz jus às origens do Cordão do Prata Preta, que nasceu em uma região do centro Rio carregada de história. A Praça da Harmonia, no bairro da Saúde (também identificado com Gamboa), foi palco de grandes lutas sociais e resistência negra durante a Revolta da Vacina em 1904. No ano passado, o tema escolhido, 120 anos da Guerra de Canudos, já tinha esse mesmo tom social e histórico.

Já o Comuna que Pariu, bloco formado por comunistas, que ficou conhecido pelo enredo “Lugar de mulher é onde ela quiser”, de 2015, esse ano se levanta contra a homofobia.

"As bi, as gay, as trans e as sapatão, tão junta no Comuna pra fazer Revolução", diz o refrão do samba enredo desse bloco carnavalesco. “Esse enredo vem para fechar um ciclo de temas sociais que abordamos. Primeiro foi o direito das mulheres. No ano passado falamos sobre o racismo. Agora estamos denunciando a homofobia”, diz o maestro do bloco, Bil-Rait Buchecha.

Segundo Buchecha, um dos compositores da letra do samba do Comuna que Pariu, o tema é fundamental na atual conjuntura política de avanço do conservadorismo. “Vamos botar a família Doriana pra sambar na margarina”, brinca o sambista. Cerca de 7 mil pessoas já confirmaram presença no bloco, na página do evento no Facebook, mais que nos anos anteriores.

Mas sem dúvida o mais esperado pelos foliões de esquerda é o Bloco Fora Temer. No evento do Facebook mais de 20 mil pessoas demonstraram interesse e confirmaram presença na atividade que será realizada na Cinelândia.

O Bloco Fora Temer marca a abertura do Carnaval carioca, nessa sexta-feira (24), em grande estilo. Na verdade, esse é um evento de união de vários blocos já consagrados, entre eles estão os Boêmios da Lapa, Bloco dos Bancários, Meu Bem, Volto Já, entre outros.

Nas redes sociais, os organizadores assim definem o perfil desse bloco dos blocos. “Somos bem alegres e irreverentes, contra o golpe de 2016 e o atual governo entreguista que quer retirar direitos do povo brasileiro com retrocessos trabalhistas e previdenciários: esse é o Bloco Popular Fora Temer”.

Veja a agenda dos blocos de esquerda: 

Cordão do Prata Preta

Local: Praça da Harmonia – Bairro da Saúde (Gamboa)

Dia: Sábado (25)

Horário: A partir das 16h

Comuna que Pariu

Local: Cinelância – Rua Alcino Guanabara

Dia: Segunda-feira (27)

Horário: A partir das 15h

Bloco Fora Temer

Local: Praça da Cinelândia

Dia: Sexta-feira (24)

Horário: A partir das 17h

Edição: Vivian Virissimo