Dia Internacional da Mulher

Um chamado para as mulheres

8 de março é um dia de luta por direitos e condições iguais

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Chamamos todas e todos para se somarem no dia 8 de março, às 17h, na Praça Santos Andrade, Centro de Curitiba / Divulgação

Está chegando o dia 8 de março, dia das mulheres, dia de luta! Mas por que luta?

Luta porque o Brasil é o 5º país no ranking mundial de violência contra a mulher. Aqui, a cada 24 segundos uma mulher é espancada, a cada 11 minutos uma mulher é estuprada, todo dia, 13 mulheres são mortas pelo simples fato de serem mulheres e a taxa de assassinato de mulheres negras subiu 54% em 10 anos.

Luta porque vivemos em um país em que as mulheres ganham 25% menos, mas trabalham 5 horas a mais por semana que os homens, considerando a jornada de trabalho dentro e fora de casa.

Luta porque, mesmo com essa diferença gigantesca em relação ao trabalho, o governo ilegítimo de Temer quer, com a reforma da previdência, aumentar a idade mínima para as mulheres se aposentarem para 65 anos, igualando à dos homens. Pela proposta, as trabalhadoras deverão pagar 49 anos de INSS para ter direito à aposentadoria integral.

Luta porque são as mulheres que ocupam os postos de trabalho mais precarizados, como os serviços de limpeza e de cuidado. Portanto, são as que mais vão sofrer com o desmonte dos serviços públicos, com o fim de direitos trabalhistas e com a legalização irrestrita da terceirização.

Luta porque todos os direitos que temos foram conquistados através dela.

Por esses motivos, e tantos outros, as mulheres precisam se organizar e, juntas, partir para o enfrentamento e para a luta por direitos e condições iguais. Por isso, chamamos todas e todos para se somarem no dia 8 de março, às 17h, na Praça Santos Andrade, Centro de Curitiba. Não aceitaremos “Nem uma mulher a menos e nenhum direito a menos”!

*Stephanie Wakabayashi é integrante do Curso Promotoras Legais Populares de Curitiba e Região

 

Edição: Ednubia Ghisi