PROTESTO

Cemitério dos Aposentados de Temer é inaugurado no Recife

Ato realizado pelos professores e movimentos sociais denuncia a Reforma da Previdência

Recife (PE)

,
O cemitério montado mostra quais categorias mais serão afetadas com a reforma da Previdência / Paulo Mansan

Na tarde desta sexta-feira (17.03), as professoras e professores de Pernambuco, junto com movimentos sociais, realizaram um Ato Público em Defesa do Piso Nacional do Magistério e Contra a Reforma da Previdência na Praça do Derby, centro do Recife. Cerca de 2 mil pessoas, vestidas de preto como símbolo de luto, participaram do momento, que contou com a inauguração da Colônia de Férias dos/as Aposentados/as de Temer.

O ato teve início na frente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (SINTEPE), passando pela Conde da Boa Vista e Avenida Agamenon, até chegar na Praça do Derby, onde houve a inauguração da Colônia de Férias, que, na verdade, trata-se de um grande cemitério. Magna Moura, da secretaria de comunicação do SINTEPE, explica que o ato tem caráter lúdico e usa da ironia para dialogar com as pessoas sobre as grandes perdas para as trabalhadoras e trabalhadores, caso a reforma da Previdência seja aprovada.

Durante o percurso do ato, uma encenação teatral foi realizada. “Montamos um cenário de um cemitério, onde as lápides representam as categorias que vão sofrer mais com esse ataque aos direitos. Da forma como está proposta essa reforma, a categoria dos professores, por exemplo, não irá receber a aposentadoria integral nunca. Pelo tempo mínimo de contribuição que foi colocado, vamos dar entrada na aposentadoria quando já estivermos enterradas”, explica Magna. Ela conta que a encenação possibilitou que as pessoas que passavam pelo local pudessem participar junto e entender o que de fato se perde com essa reforma.

Outra reinvindicação do ato desta sexta-feira foi o pagamento do Piso Nacional do Magistério de 2017 para as professoras e professores de Pernambuco que não está sendo cumprido. “O Piso Nacional para 2017 não está sendo pago em vários municípios de Pernambuco. Por isso, professoras e professores de várias cidades vieram hoje para cá para denunciar tal situação”, observa Magna.

Edição: Monyse Ravena