Governo Trump

Ataque reflete 'cegueira política e militar' dos EUA, diz Presidência da Síria

Washington realizou um ataque aéreo com 59 mísseis contra base aérea do país na madrugada desta sexta-feira (4)

“Atacar um aeroporto de um Estado soberano é um ato ultrajante dos EUA", diz o comunicado oficial / Wikimedia Commons

A Presidência da Síria divulgou nesta sexta-feira (07) um comunicado em que qualifica o ataque dos EUA contra uma base aérea de Damasco como um ato “imprudente e irresponsável” que reflete “uma cegueira política e militar”.

“Em uma agressão injusta e arrogante, os Estados Unidos atacou nesta sexta-feira o aeroporto de al Shairat nos arredores de Homs”, diz o comunicado do gabinete de Bashar al Assad, presidente da Síria, divulgado pela agência estatal de notícias Sana.

“Atacar um aeroporto de um Estado soberano é um ato ultrajante dos EUA que clarifica mais uma vez o que a Síria tem dito, de que a sucessão de administrações deste regime não muda as políticas arraigadas desta entidade, representadas por ataques contra Estados, a opressão de povos e a tentativa de dominar o mundo”, diz a Presidência síria.

O governo sírio encerrou dizendo que "se o regime norte-americano acredita que este ataque lhe permitiu dar apoio a seus agentes de gangues e organizações terroristas no terreno, a República Árabe da Síria reafirma que esta agressão aumentou a determinação síria em atacar os agentes terroristas e os continuar derrotando, e intensificar as ações contra eles onde quer que estejam no território sírio".

Washington realizou na madrugada desta sexta-feira a primeira ação militar direta contra Damasco, com um ataque aéreo com 59 mísseis lançados de navios militares no mar Mediterrâneo contra a base de Shairat, a 25 quilômetros de Homs.

A Rússia classificou o ataque como uma “agressão contra um Estado soberano” e suspendeu a coordenação militar que mantinha com os EUA na Síria.

Segundo dados do Exército sírio e do Observatório Sírio de Direitos Humanos, o ataque deixou pelo menos 15 mortos, entre militares e civis, e dezenas de feridos e destruiu "quase por completo" a base aérea, a segunda mais importante das forças governamentais sírias, segundo um comunicado do Observatório.

O governo norte-americano acredita que desta base saíram os aviões sírios que bombardearam a cidade de Khan Sheikhoun na terça-feira (04), no que EUA, França e Reino Unido dizem ter sido um ataque químico deliberado de Assad contra civis sírios, que deixou mais de 70 mortos e 200 feridos.



No entanto, tanto o governo sírio como a Rússia, seu principal aliado, negam essa versão e sustentam que o ataque tinha como alvo um depósito dos terroristas do Estado Islâmico e da Frente Al Nusra que abrigava armas químicas – que depois atingiram os civis.

Edição: Opera Mundi