Conheça os benefícios do inhame, a raiz forte vinda da África

Imagem do logo do Podcast

Ouça o áudio:

Inhame, também conhecido como cará em algumas regiões do país
Inhame, também conhecido como cará em algumas regiões do país - Divulgação
Tubérculo tem várias propriedades medicinais e rende ótimas receitas

Natural do continente africano, o inhame faz parte da base da alimentação na África Central, especialmente na Nigéria, maior produtor mundial, com cerca de três milhões de hectares.

No Brasil cultiva-se dois tipos da planta: o inhame e o inhame-roxo, também conhecido como cará em algumas regiões do país, o último é encontrado principalmente no Nordeste, maior produtora e também consumidora da raiz. Uma única planta desse tubérculo pode produzir mais de 20Kg de inhame por vez. Por ser de clima tropical, ele desenvolve-se bem em regiões quentes e úmidas.

É uma importante fonte de carboidratos e por ter uma quantidade significativa de fibras, não eleva as taxas de glicemia do corpo. Assim seu consumo é sugerido para pessoas com diabetes ou que buscam uma reeducação alimentar. Além disso, ele tem boas quantidades de vitamina C e vitaminas do complexo B (como B1, B3, B5, B6 e B9) importantes para o funcionamento do organismo e também para o fortalecimento do sistema imunológico.  Ele possui baixo teor de gordura sendo reconhecido por ajudar a limpar o sangue.

Pode ser consumido cozido, frito e assado em pirão, sopas, cremes, pães, bolos, biscoitos, panquecas e tortas. 

Uma dica importante no armazenamento é não guardar o inhame na geladeira pois ele absorve umidade e amolece. O melhor é mantê-lo em lugar fechado, seco e escuro se não você pode se surpreendido, porque assim como a batata, o inhame brota ao ficar exposto à luz do sol.

Edição: Anelize Moreira