Qual será o futuro do livro na era digital?

Imagem do logo do Podcast

Ouça o áudio:

Dia Mundial de Leitura
Dia Mundial de Leitura - Empresa Brasil de Comunicação
Mesmo diante do avanço das ferramentas digitais, livro de papel permanece atual e presente no nosso cotidiano

Em uma época em que o mundo digital torna cada vez mais obsoleta boa parte das ferramentas e objetos analógicos, o livro de papel permanece atual e presente no nosso cotidiano.

É o que avalia Haroldo Ceravolo Sereza, doutor em Literatura Brasileira, editor e conselheiro do Plano Municipal do Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca da cidade de São Paulo, que conversou com a Radioagência Brasil de Fato.

''Essa questão está rondando quem faz e trabalha com livros há muitos anos. Desde que surgiu a ideia do digital parecia que o livro ia ser o primeiro produto cultural a se converter para o novo formato. Mas o que aconteceu foi que o disco, por exemplo, acabou antes do livro. E por que? Acho que tem várias questões e uma delas é que a história do livro. O livro é um objeto que tem mais de 500 anos. E isso traz uma história e uma relação que o ser humano passou a ter com a leitura que está consolidada há muito tempo e passa muito pelo papel ".

Haroldo destaca ainda, que os livros digitais têm representado um importante papel de fazer com que cada vez mais pessoas adquiram o hábito da leitura no Brasil e no mundo. ''A gente tem vários formatos que são essencialmente digitais. O PDF por exemplo. O que acontece hoje é uma convivência de muitos formatos. Hoje todo mundo lê, lê muito mais do que no passado graças aos aparelhos digitais e isso ajuda a formar leitores do livro de papel. Ele resistiu até aqui e é provável que resista por mais um período, não sabemos quanto, mas que ele resista e continua sendo um companheiro do ser humano nessa aventura em busca por conhecimento, pelo debate, da política, da literatura ".

Dia 23 de abril comemora-se o Dia Mundial do Livro. A data é homenagem ao aniversário de três grandes escritores da história: William Shakespeare, Miguel de Cervantes e Inca Garcilaso de la vega.

A comemoração teve origem na Catalunha, Espanha, em 1926, mas até hoje inspira campanhas e celebrações. E enquanto ele resiste, podemos aproveitar a data para participar de feiras de trocas de livros e clubes de leituras, que são organizados por diversas bibliotecas e livrarias todo dia 23 de abril.

 

 

 

Edição: Anelize Moreira