Tecnologia

Grupo usa inteligência artificial para fiscalizar deputados

Operação Serenata de Amor analisa os pedidos de reembolso dos parlamentares

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça a matéria:

Operação Serenata de Amor e ganhou vida após a arrecadação de mais de 80 mil reais por meio de financiamento coletivo / Divulgação

Um grupo de brasileiros cansou de reclamar da corrupção e colocou a mão na massa.

Eles começaram um projeto que usa inteligência artificial para fiscalizar os gastos públicos de deputados federais.

A ideia foi batizada de Operação Serenata de Amor e ganhou vida após a arrecadação de mais de R$ 80 mil por meio de financiamento coletivo.

A investigação funciona assim: são analisados os pedidos de reembolsos dos deputados relativos à verba indenizatória que todos eles recebem.

É um dinheiro importante para garantir a atividade parlamentar, mas que pode ser um problema se usado de maneira errada.

Um programa de computador avalia as justificativas, e sinaliza aquelas que parecem estranhas para o uso da verba.

Teve o caso de um deputado que solicitou reembolso de dois almoços no mesmo dia em lugares diferentes do Brasil.

Tem também deputados que compram cervejas, vinhos ou espumantes em viagens internacionais, e segundo a Controladoria-Geral da União, gastos com bebidas alcoólicas não deveriam ser custeado por recursos público, a não ser em recepções oficiais.

Quando um comportamento suspeito é identificado, é feita uma análise mais detalhada e depois o parlamentar é procurado para saber se ele tem algo a dizer.

É a garantia do direito de resposta.

Quando há indício de corrupção, é feita uma denúncia ao Ministério Público.

Além disso, um dossiê com todas as informações é publicado no site da operação.

Para saber mais, acesse o site www.serenatadeamor.org

 

Edição: Camila Maciel