Por que o desemprego só aumenta?

Imagem de perfil do Podcast
Fala Aí

Ouça o áudio:

Número de desempregados chegou a quase 14 milhões no final de abril, segundo o IBGE / Marcello Casal/Agência Brasil
Airton Santos, do Dieese, responde a pergunta da ouvinte do BdF sobre o que o governo está fazendo para isso mudar

Eu sou a Tabata Lima Lobo, tenho 22 anos de idade e o que eu gostaria de saber é quando que vai melhorar o desemprego. O que eles estão fazendo para melhor isso?

Oi, Tabata, eu sou Airton dos Santos, sou coordenador adjunto do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) e eu estou encarregado de responder uma questão difícil para você. No meu entendimento e de onde eu trabalho, no Dieese, o governo tem feito quase nada, pouca coisa. Pelo contrário, ele está tomando medidas que não vão na direção do aumento na geração de emprego. A primeira medida que ele tomou foi congelar os gastos do governo, os gastos públicos. Esse congelamento faz com que a atividade econômica desaqueça, portanto, não gera emprego.



Na mesma esteira, está fazendo uma reforma da Previdência. Essa reforma, provavelmente, vai tirar o rendimento de algumas pessoas, ou vai reduzir o rendimento de algumas pessoas, o que vai fazer com que elas comprem menos, adquiram menos produtos e, portanto, as empresas vão vender menos. O que faz com que o emprego também caia.

Outra coisa que ele também está interessado em fazer é a reforma trabalhista, ou seja, ele quer desregulamentar o mercado de trabalho, afirmando que essa desregulamentação e precarização do mercado de trabalho vai gerar emprego. O que também não é verdade. O que gera emprego, Tabata, é o crescimento do país. O país tem que crescer, os empresários têm que investir, o governo tem que gastar um pouco, investir em infraestrutura e obras. Isso gera emprego e também faz com que o setor privado forneça para o governo e também gere emprego para o setor privado.

Ele não está fazendo nada disso, pelo contrário. Ele está fazendo uma política de recessão e de desaquecimento da economia e que não gera emprego. Nós não vislumbramos, em um horizonte próximo, a recuperação do mercado de trabalho. Os 13 milhões de desempregados que existem vão ainda permanecer procurando emprego porque não tem pela frente uma perspectiva boa.

Edição: Anelize Moreira