COMUNICAÇÃO POPULAR

Rio: Festival vai reunir meios de comunicação popular na Cinelândia

Núcleo Piratininga de Comunicação realiza no dia 25/5 a primeira edição de evento sobre comunicação sindical e popular

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,
NPC é integrado por comunicadores, jornalistas, professores , artistas, ilustradores e fotógrafos / Foto: NPC

Comunicação popular, teatro e música. Tudo junto em um evento aberto na Cinelândia, no Centro do Rio de Janeiro. Essa é a proposta do 1º Festival da Comunicação Sindical e Popular que será realizado pelo Núcleo Piratininga de Comunicação (NPC), no dia 25 de maio, das 10h às 20h.

Será um dia inteiro de debate, aulas públicas, teatro de rua, música e exposição de meios de comunicação alternativos. Os principais jornais, revistas e sites populares, coletivos de comunicação e iniciativas comunitárias de comunicação estarão presentes nesse evento.

"Teremos a participação de sindicatos, movimentos e coletivos de comunicação popular do Rio e de outros estados. Entre os confirmados estão o Jornal Abaixo Assinado, CDD Notícias, O Cidadão, Coletivo Papo Reto, Cimi, Senge-Rj, a Fisenge, Sindipetro-RJ, TV Tagarela, PACS, Brasil de Fato, Sintell Rio, o Sinpro-DF, o Coletivo Terra Sem Males, a Revista Vírus, Voz das Comunidades Populares, o Sintufrj e o Sindiconir. E ainda estão chegando confirmações", afirma a socióloga Luisa Santiago, pesquisadora do NPC.

Essa é uma oportunidade da população ter contato direto com jornalistas, comunicadores, formadores de opinião e pessoas que lutam por meios de informação mais democráticos.

A programação conta com aulas públicas sobre a histórica greve das tecelãs na Rússia, em 8 de março de 1917, sobre a greve do Brasil, também em 2017, e uma terceira, que abordará temas como a globalização, trabalho e comunicação.  Além disso haverá uma peça de teatro e um show musical com vozes das comunidades do Rio.

"Os temas das aulas foram pensados por conta das celebrações do centenário da Revolução Russa e pela atualidade dessas pautas, que voltaram ao cotidiano dos trabalhadores brasileiros. Movimentos populares e sindicais estão diante de grandes batalhas. Acreditamos que conhecer a história é fundamental para que os trabalhadores possam fortalecer suas lutas contra os retrocessos que tramitam e podem ser aprovados no Congresso", aponta Luisa Santiago.

Segundo os organizadores, essa é uma forma de ocupar espaços públicos da cidade e um esforço para dar visibilidade aos veículos de comunicação alternativa. Em nota, o NPC afirma que esse evento é um importante passo na luta pela democratização da mídia em um país em que os principais meios de comunicação são controlados por poucos grupos econômicos.

O festival é aberto e gratuito, realizado a partir de uma campanha de financiamento coletivo no site Benfeitoria. Para mais informações e a programação completa basta clicar em 1º Festival da Comunicação Sindical e Popular.

 

Edição: Vivian Virissimo