Abandono

Prefeitura de Uberlândia (MG) é condenada pelo MP a restaurar Teatro Grande Otelo

Justiça já havia determinado a restauração e tombamento do prédio em 2011

Uberlândia (MG)

,
A prefeitura tem o prazo de 18 meses para o início efetivo das obras / Marco Oliveira

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) condenou o município de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, a realizar a restauração do imóvel construído em 1966 e localizado no centro da cidade.

O local, que inicialmente abrigava o Cine Vera Cruz, foi transformado em Teatro Grande Otelo em 1996, como forma de homenagear o famoso uberlandense. No entanto, o teatro está fechado desde 2011, quando foi realizada uma perícia que constatou o risco de desabamento. 

O pedido ao TJMG foi protocolado pela procuradoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Cultural de Uberlândia. Foi solicitada, através de uma ação civil pública, o restauro total da construção. 

A prefeitura tem o prazo de 18 meses para o início efetivo das obras, não cabendo mais recurso.

Quem foi Grande Otelo

Sebastião Bernardes de Souza Prata, ou simplesmente Grande Otelo, nasceu em Uberlândia, em 1915. Após uma infância difícil, fugiu com uma companhia de teatro que passava pela cidade para se tornar um dos maiores artistas brasileiros, tendo recebido prêmios em todo o mundo. 

Além de um teatro com seu nome, existe uma campanha do movimento negro uberlandense para que a principal avenida do município também o homenageie. Atualmente, a avenida carrega o nome de Rondon Pacheco, que foi chefe de gabinete do ditador Costa e Silva e presidente do partido Arena. A alteração do nome também foi uma das recomendações da Subcomissão da Verdade do Triângulo Mineiro – Ismene Mendes.

 

Edição: Joana Tavares