Cultura

Sob luzes, câmeras e ação, começa o festival Olhar de Cinema

Evento traz a Curitiba uma semana de programação audiovisual, com filmes nacionais e internacionais

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Filme #nósmanteremosfirmes documentou as escolas ocupadas por secundaristas do Paraná contra o governo Temer / Divulgação

Curitiba não é só espectadora no cinema. Longe disso. A cidade tem cultura audiovisual e também enxerga o mundo por detrás das câmeras. Em junho, entre os dias 7 e 15, a cidade sedia o festival Olhar de Cinema, que fortalece as produções locais e traz uma ampla mostra de longas e curtas-metragens gravados em todo o Brasil e no exterior.

São 125 filmes que vão além das fronteiras nacionais, a partir de processos artísticos construídos em países da Ásia, da Europa, das Américas e do Oriente Médio. 

Esta é a sexta edição do evento, que separa os olhares em nove categorias. Qualquer sessão tem o custo fixo de R$ 10 ou R$ 5 (meia entrada), na tentativa de torná-lo mais acessível ao público de baixa renda – sobretudo quando o preço é comparado ao valor padrão dos ingressos em cinemas dos grandes shopping centers.

As mostras são divididas em Olhar Retrospectivo, Olhares Clássicos, Foco, Exibições Especiais, Competitiva, Novos Olhares, Outros Olhares, Pequenos Olhares e a Mirada Paranaense – esta busca apresentar ao público um panorama da produção audiovisual no estado do Paraná.

Das ocupações para a telona

Um dos filmes que serão exibidos na mostra Miradas Paranaenses é o #nósmanteremosfirmes – bem assim, com a “hashtag”. O curta-metragem, dirigido por Diego Fiorentino, acompanha a visita da atriz e ativista política Letícia Sabatella em uma escola ocupada por estudantes no Paraná.

“O protagonismo dos secundaristas foi algo surpreendente e pulsante, e resolvemos documentar o que nos foi possível naquele momento”, explica Diego. “Achei muito simbólica a figura ativista dela junto daqueles jovens”.

Durante a conversa, estudantes falam sobre o cotidiano da ocupação organizada de modo horizontal, contra as reformas do ensino médio propostas pelo impopular e autoritário governo de Michel Temer.

“Essa foi uma das ações mais, se não a mais, significativas de protesto contra o governo. Esses jovens se organizaram de modo fantástico, horizontal, colaborativo, inclusive consertando e reparando escolas, continuando a ter aulas e distribuindo alimentação pras outras escolas ocupadas”, pondera o diretor.

Para ficar por dentro

Data: 07 a 15 de junho

Local: Shopping Crystal e Shopping Novo Batel

Informações sobre a programação: www.olhardecinema.com.br

 

Edição: Ednubia Ghisi