MOVIMENTO LGBT

Mulheres lésbicas criam rede de solidariedade para conseguir emprego

A iniciativa sugiu no Rio de Janeiro, mas tem ofertas de trabalho em todo o Brasil

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,
Grupo também funciona como uma "rede de afeto" e suporte psicológico / Sapa Roxa

Observando a dificuldade de amigas lésbicas em conseguir emprego, algumas ativistas criaram, nas redes sociais, o grupo “Indique uma Sapa”, para ajudar essas mulheres a conseguir vagas no mercado de trabalho e também para oferecer serviços das profissionais liberais, como psicólogas, enfermeiras, cozinheiras e muitas outras.

Assim foi se construindo uma rede de solidariedade entre as mulheres lésbicas, através de uma iniciativa que está mudando para melhor a vida de muitas pessoas. Hoje são mais de 1.300 mulheres cadastradas no grupo do Facebook e no site “Sapa Roxa”, um coletivo de mulheres feministas lésbicas, que participa e contribui com o grupo.

“Quem fica sabendo de uma vaga de emprego posta no grupo e quem está precisa fica sabendo ali. Essa comunicação também resultou em parcerias entre produtoras que trabalham com festas e trabalhadoras que fazem comida, salgados e doces para vender, por exemplo”, conta a publicitária, Ana Claudino, uma da organizadoras do grupo “Indique uma Sapa”.

Criado em abril desse ano o grupo internet também funciona como uma “rede de afeto”, explica Ana Claudino. “Percebemos que muitas dessas mulheres sofrem perseguição no ambiente de trabalho devido a sua orientação sexual. A situação piora no caso das lésbicas negras, que sofrem duplo preconceito. Então, o diálogo, a aproximação e a troca de informação funcionam como rede de afeto e suporte psicológico”, destaca.

 

Mais informações podem ser obtidas através do e-mail saparoxa@gmail.com.

 

Edição: Vivian Virissimo