GOLPE

CUT denuncia na OIT sucessão de golpes sociais e trabalhistas do governo Temer

Centrais sindicais brasileiras acusam governo brasileiro de violar convenções internacionais trabalhistas

Ouça a matéria:

106ª sessão da Conferência Internacional do Trabalho, Palais des Nations, Genebra, 08 de junho / Crozet - Pouteau / Divulgação OIT

Na manhã desta quinta-feira (15), as seis centrais sindicais brasileiras presentes na Assembleia da OIT (Organização Internacional do Trabalho), denunciaram a Reforma Trabalhista do governo Temer à entidade, por violar convenções internacionais que o Brasil assinou e tem a obrigação de respeitar.

Os dirigentes apresentaram uma consulta à OIT, para evidenciar as violações que a reforma vai causar, caso for aprovada. Segundo nota da CUT, o secretário de Relações Internacionais da central, Antonio Lisboa, anunciou: “Demos entrada com uma consulta urgente junto ao Departamento de Normas da OIT, pedindo a análise das violações da reforma trabalhista às normas da OIT”. 

As centrais denunciam que o governo brasileiro ameaça violar as convenções 87, 98, 144, 151 e 154. O documento é assinado por representantes da CUT, CTB, UGT, Força Sindical, Nova Central e CSB e foi apresentado pela delegação representante dos trabalhadores na 106ª Conferência Internacional do Trabalho, que está sendo realizada na sede da ONU (organização das Nações Unidas), em Genebra, na Suíça.

Os representantes sindicais denunciaram ainda em Genebra, a tragédia de Mariana, assassinato de trabalhadores rurais, violência contra a população indígena e os desmontes da Previdência e da CLT.

Esta semana, a jornalista Marilu Cabañas da Rádio Brasil Atual, entrevistou Antônio Lisboa para saber mais sobre as ações das centrais em Genebra, durante a 106ª Conferência Internacional do Trabalho.

Edição: RBA