TECNOLOGIA

Aplicativo desenvolvido no Rio quer ajudar a prevenir violência contra a mulher

Diferente de outros, o app Elza, em homenagem a cantora Elza Soares, quer criar uma rede de apoio às mulheres

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,
A cada 90 minutos, uma mulher morre por agressões de atuais ou ex parceiros e, todos os dias, cerca de 130 mulheres são estupradas / Fernando Frazão/ Agência Brasil

A cada 90 minutos, uma mulher morre por agressões de atuais ou ex parceiros e todos os dias, cerca de 130 mulheres são estupradas, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pensando nesses números sobre violência contra as mulheres no Brasil, o aplicativo para celular Elza está em desenvolvimento no Rio de Janeiro com objetivo de prevenir ou facilitar o pedido de socorro.

O app Elza, em homenagem a cantora Elza Soares, quer criar uma rede de apoio às mulheres. A plataforma vai contar com duas funções. A primeira, permitirá que a mulher seja acompanhada por quem ela desejar, através do GPS, quando se sentir ameaçada.  A segunda funcionará como um botão de socorro, que dispara alertas para contatos cadastrados e também para mulheres inscritas no app e estejam perto do local.

“Para as vítimas de violência, pedir ajuda de conhecidos ou outras mulheres pode ser mais fácil do que fazer denúncia à polícia. Sabemos que essas vítimas têm receio de se expor e, por isso, muitas vezes não pedem ajuda”, explica a assistente social Amanda Frazão, uma das desenvolvedoras do app.

A ideia surgiu de um amigo de Amanda. Ele pensou na ferramenta depois de receber a ligação de sua filha, enquanto estava sendo perseguida em outra cidade. Distante, não conseguiu prestar socorro. “Pensamos juntos no aplicativo e formamos uma equipe para utilizar a tecnologia a favor das mulheres”, complementa Amanda.

O próximo passo do projeto é conseguir o dinheiro para finalizar o app. Para isso, uma campanha de financiamento coletivo está disponível online no site da Benfeitoria. Quando estiver funcionando, o aplicativo será gratuito.

Edição: Vivian Virissimo