São Paulo

Coletivo promove ato pedindo justiça por carroceiro morto após ser baleado por PM-SP

Concentração do ato está marcada para as 17h desta quinta-feira (13), na rua Mourato Coelho, em Pinheiros

Registro de momentos após a polícia levar o corpo de Ricardo Nascimento no camburão / Reprodução/Facebook Paula Sacchetta

O Pimp My Carroça, movimento de artistas e catadores de materiais recicláveis, vai promover um ato a partir das 17h desta quinta-feira (13), na rua Mourato Coelho, em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, pedindo por justiça para o carroceiro Ricardo Silva Nascimento. O catador de material reciclável morreu no início da noite de quarta-feira (12), após ser baleado pelo policial militar cabo José Marques Madalhano, no local onde vai acontecer a manifestação.

Negão, como o carroceiro era conhecido, foi abordado pela polícia porque “estava agitado pedindo comida em um comércio local”, de acordo com o movimento que organiza o protesto. À reportagem, testemunhas disseram que o carroceiro não ofereceu nenhuma resistência à abordagem policial.

Após ser morto, o corpo de Ricardo foi retirado do local pelos próprios policiais militares, sem esperar a perícia para dar procedimento legal à apuração dos fatos.

O caso está sendo investigado pelo DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) da Polícia Civil. Segundo a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo), a Corregedoria da PM apura o caso.

Manifestação

A concentração do ato está marcada para as 17h, na esquina das ruas Mourato Coelho e Navarro de Andrade, com o início da manifestação previsto para 18h.

Os organizadores pedem para que os participantes do protesto levem “flores, velas, cartazes e o que melhor representar a indignação com esse crime absurdo”.

Edição: Ponte