Governo do Rio

Fim do semestre na Uerj é marcado por protesto contra sucateamento da instituição

Faculdade permanece sem perspectiva de normalizar situação; funcionários sinalizam que não há como retomar as aulas

Ouça a matéria:

Alunos e servidores também fizeram manifestação contra salários atrasados e incertezas no último dia 7 / Tomaz Silva/Agência Brasil

Educadores, alunos e técnicos da Faculdade de Formação de Professores da UERJ encerraram nesta quinta-feira (13) o semestre com um protesto em São Gonçalo, na região metropolitana do estado.

Vestidas de preto para simbolizar o luto pelo sucateamento da instituição, em torno de 200 pessoas soltaram balões coloridos para expressar a luta e a resistência da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

A vice-diretora da Faculdade Mariza de Paula Assis destacou que o segundo semestre referente ao ano de 2016 está sendo finalizado graças ao esforço dos trabalhadores e estudantes.

A UERJ permanece sem perspectiva de normalizar a situação e tanto a reitoria quanto os professores já sinalizaram que não há condições de retomar as aulas em agosto.

Na quarta-feira, o Tribunal Regional Federal da 2ª Região suspendeu a decisão que obrigava o estado do Rio a pagar os servidores da UERJ no mesmo dia que os professores ligados à Secretaria de Educação.

Apesar da decisão anterior, os vencimentos dos professores da UERJ nunca chegaram a ser quitados juntamente com os servidores da Educação. Funcionários da UERJ receberam nessa semana a última parcela do salário de abril e não têm previsão de receberem os vencimentos de maio e junho.

Já professores ligados à Secretaria de Educação recebem nesta sexta-feira o salário de junho com recursos do Fundeb- Fundo de Manutenção da Educação Básica.

Edição: Radioagência Nacional