Recordes nacionais

Gêmeas da natação paralímpica quebram cinco recordes em competição internacional

O bom desempego garantiu vaga no mundial para uma das atletas

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Maior semelhança entre as atletas não é apenas a física, mas o desempenho nas mesmas modalidades / Divulgação

As paranaenses Beatriz e Débora Borges Carneiro voltam com bons resultados do Aberto de Berlim de Natação, realizado na capital alemã entre os dias 6 e 9 de julho: juntas, as gêmeas de 19 anos quebraram cinco recordes brasileiros. Beatriz, que foi 5ª colocada na Paralimpíada do Rio em 2016, também garantiu o índice para disputar o campeonato mundial da modalidade, que vai acontecer em setembro, na Cidade do México.

As nadadoras naturais de Maringá, no Noroeste do Paraná, competem na classe S14, que engloba competidores com algum tipo de deficiência intelectual.

Beatriz bateu recordes nacionais nos 100m peito com o tempo de 1m18s17 – o recorde anterior já tinha sido conquistado por ela, com 1m21s66 –, nos 50m peito (35s61) e 200m peito (2m52s11).  Débora também conquistou dois recordes brasileiros nos 100m livres e 50m borboleta, com os tempos 1m06s77 e 34s66, respectivamente. 

Por erros de comunicação da coordenação do campeonato, a atleta não chegou a nadar na grande final, apesar de ter se classificado nas eliminatórias. A organização considerou que Débora estava fora do local da prova. A nadadora ainda pode alcançar o índice para o Mundial de Natação nas disputas da segunda etapa do Open Internacional Loterias Caixa, que vai ser realizado em agosto. 

 

Edição: Franciele Petry Schramm