Negociação

Venezuela assina contrato com empresa dos EUA para fortalecer produção de petróleo

Nicolás Maduro afirmou que a aliança estratégica ajudará a desenvolver a tecnologia da estatal PDVSA

PDVSA é a estatal venezuelana de produção de petróleo; país tem a maior reserva certificada do mundo / Divulgação

A Venezuela assinou um acordo entre a estatal Petroleos de Venezuela (PDVSA) e uma empresa estadunidense chamada Horizontal Well Drillers. O objetivo seria desenvolver a produção de petróleo no país.

O documento foi assinado pelo ministro do Poder Popular para o Petróleo, Nelson Martínez, e pelo presidente da Horizontal Well Drillers, Todd Swanson, no Palácio Miraflores, sede do governo, em Caracas.

O acordo propõe a criação de uma joint venture para o desenvolvimento do petróleo na Venezuela. Martinez anunciou que o negócio inclui um investimento inicial de US$ 200 milhões para um projeto de três anos. Eventualmente, o valor poderá ser expandido para US$ 1,3 bilhões.

"Nós discutimos a criação de dois grupos de trabalho para iniciar, nos próximos 90 dias, um plano de negócios identificando oportunidades, definindo níveis de investimentos e criando pelo menos uma joint venture", declarou Martinez.

Durante a cerimônia, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse que a aliança estratégica irá fortalecer a tecnologia da PDVSA.

Ele acrescentou que a Venezuela é um país cuja Constituição e leis criam condições de segurança e estabilidade legal para esses acordos, citando o exemplo de outros acordos que foram assinados com a China, Rússia, Índia e outras nações.

"Eu convido o capital estadunidense de todas as áreas da economia e da energia a virem para a Venezuela. Estamos prontos para abrir os horizontes de investimentos", disse Maduro.

O presidente também reiterou sua disposição em estabelecer relações com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a despeito das diferenças políticas e ideológicas: "Eu espero que as portas estejam abertas para uma relação de respeito entre os governos dos Estados Unidos e da Venezuela."

Edição: Telesur | Tradução: Camila Rodrigues da Silva