Pará

Em Belém, semana do folclore tem apresentação de carimbó, toadas e Boi-Bumbá

"Amo a toada, é um mundo mágico, um mundo muito bonito", diz integrante do grupo folclórico que se apresenta esta semana

Brasil de Fato | Belém (PA)

,

Ouça a matéria:

O grupo Boi-Bumbá Luar do Marco foi um dos grupos que se apresentou na terça-feira, abrindo a semana que segue com intensa programação / Lilian Campelo

A Semana do Folclore acontece na cidade de Belém até o próximo domingo (27). O evento vai contar com a apresentação de grupos tradicionais de diversos bairros da capital paraense. Expressões como o carimbó, as toadas, o cordão de bichos e o boi-bumbá foram representadas no evento.

O grupo de boi-bumbá Luar do Marco tem 15 anos de existência e participou da abertura do evento, realizada na última terça-feira (21). O coordenador Nilson Rodrigues conta  a lenda é encenada pelos brincantes: "O boi-bumbá, dependendo do estado, tem um segmento. Para nós, é assim: numa fazenda, a Catirina tem um desejo de comer um boi e o pai, Francisco, mata o boi para saciar o desejo da esposa, que é a Catirina, e o dono da fazenda manda buscar o pai, Francisco, para mandar prender e ele dar um jeito de ressuscitar o boi. Então, o pajé faz uma pajelança e ressuscita o boi".

Assim como o Boi-Bumbá Luar do Marco, muitos grupos nasceram nos bairros da periferia de Belém. É o caso do Encantos do Sol, que existe há 15 anos. O grupo segue a toada de boi-bumbá com inspiração no estado do Amazonas, mais especificamente, de Parintins, cidade que abriga a tradicional disputa entre os bois Caprichoso e Garantido.

Boi-bumbá Luar do Marco

Nazaré Costa, de 31 anos, integra o Encantos do Sol há sete anos, parou apenas quando nasceram suas filhas. "Voltei porque amo, amo a toada, um mundo mágico, um mundo muito bonito”, conta.

Outro grupo cultural que também se apresentou na abertura foi o Estrela do Mar, composto por 22 mulheres entre 50 e 60 anos e um homem. Ele nasceu a partir da reunião de mulheres donas de casa, com filhos já adultos, e que, com o tempo, se viram muito solitárias. Lídia Bastos, uma das coordenadoras, conta que o que a motiva "é o amor, a gente tem um amor por esse grupo; eu deixo marido, deixo a casa para ficar com elas, todas elas".

O evento vai até o próximo domingo e tem entrada gratuita. Confira a programação:

Dia 23/08

Memorial dos povos – 9h às 12h

Palestra sobre folclore com o professor Eduardo Vieira

Dia 24/08

Memorial dos Povos -16h às 18h

Oficina de Carimbó e Toada

Dia 25/08

Biblioteca Municipal Avertano Rocha – 9h30 às 11h30 | 14h30 às 16h30

Chalé Literário

De 22 a 26/08

Museu de Arte de Belém – 10h às 18h

Exposição Figurinos Folclóricos

Dia 26/08

Cineminha Acir Castro – 19h às 20h

Mostra de curta metragem “Chama Verequete”

Seminário artístico cultural com grupos folclóricos – 16h às 18h30

Dia 27/08

Complexo Ver-o-Rio – 19h às 22h

Cortejo cultural e roda de carimbó (saída da Praça Brasil, às 17h)

Homenagem aos mestres da cultura paraense

Edição: Vanessa Martina Silva