Recife

Pernambucanos de diversas regiões participam de ato com Lula e Dilma

"Povo nordestino não quer ter a cara da fome. Quer ter a cara do trabalho", afirma ex-presidente

Brasil de Fato | Recife (PE)

,
Manifestação aconteceu no centro do Recife como parte da Caravana Lula pelo Brasil / Mídia Ninja

Pernambucanos de diversas regiões do estado se reuniram no Pátio da Igreja do Carmo, no centro do Recife, para participar do ato convocado pela Frente Brasil Popular "pela  Democracia, pelos Direitos e por Lula". O evento aconteceu na noite de sexta-feira (25), como parte da caravana "Lula pelo Brasil". 

A manifestação contou com a presença dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, além de militantes de movimentos populares, trabalhadores, trabalhadoras, estudantes, artistas e apresentações culturais.

Lula falou com orgulho do legado dos governos petistas, sobre os programas sociais desenvolvidos e criticou a ação dos setores anti-democráticos da política brasileira, o desmonte de direitos do povo brasileiro e a perseguição à sua figura. Além disso, o petista convidou diretamente a população a não esmorecer e não desanimar: “Nós temos que perseverar e lutar porque não é tempo de abrir mão dos nossos direitos. O povo nordestino não quer ter a cara da fome. Quer ter a cara do trabalho, a cara do desenvolvimento, a cara do emprego”.

Dilma Rousseff saudou a população reunida no pátio e relembrou as políticas públicas realizadas durante os governos petistas em prol da saúde e da educação, e no combate à pobreza. Dilma também afirmou que a caravana que Lula está realizando é fundamental para a volta da democracia ao país e para que o povo possa escolher seu represente legitimamente.

“Só a nossa mobilização democrática, ampliando os espaços, ampliando a participação, pode reverter esse golpe” declarou.

Entre os milhares de apoiadores reunidos na manifestação era consenso que o governo Michel Temer (PMDB) só beneficia as elites do país e representa retrocesso para a grande maioria da população.

Para Susana Cortez, procuradora municipal, os avanços na educação conseguidos com as gestões petistas foram muitos e voltados pra quem mais precisava. “Interiorização, acesso, melhoria da estrutura, investimento em em pesquisa, tudo isso agora tá acabando”, lamenta.

Também para José Severino Ramos, agricultor do município de Paudalho, no governo Lula existia “mais emprego, mais saúde, agora é tudo bagunça, Temer ajuda só os ricos e os pobres ficam sem emprego”. Também segundo Luiz Filho, da Pastoral da Juventude Rural, o legado do governo Lula para a juventude do campo é importante por melhorar as condições de vida das famílias camponesas e por investir na educação básica e universitária dos jovens das zonas rurais.

Movimentos populares

Presentes no ato, representantes da sociedade civil organizada elogiaram a vinda de Lula a Pernambuco e o contato direto com a população. De acordo com Elisa Maria, militante da Marcha Mundial de Mulheres, a classe trabalhadora nunca saiu das ruas e a caravana do presidente Lula pelo nordeste é uma forma de coroar todo o processo de resistência do povo nordestino ao golpe.

“A caravana com Lula vem brindar e dar sentido a toda essa resistência. A gente sabe que Lula é uma pedra no sapato dos golpistas, [por isso] a elegibilidade dele, a vitória dele, interromper o curso do golpe”, aponta.

Para Paulo Mansan, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a caravana com Lula em Pernambuco é importante para resgatar e dar continuidade ao legado que seu governo deixou no estado, como o crescimento das universidades e o desenvolvimento de Suape, e que está sendo desmontado pelo governo golpista de Temer.

“A caravana é, também, necessária para reanimar a militância dos movimentos populares de Pernambuco e da Frente Brasil Popular, para voltarmos às nossas bases, organizar nosso povo e construirmos, juntos, a contra-ofensiva a esse momento de golpe”, completa.

Carlos Veras, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) de Pernambuco, reforça que se caravana é importante para o Brasil inteiro, é muito mais para o estado de Pernambuco, por resgatar a esperança do povo brasileiro na resistência contra as medidas de Temer: “Defender Lula é defender a democracia, é defender nossos direitos”.

 

Edição: Rafael Tatemoto