Novidade

Ciência, coisa bo(b)a!

Inauguramos uma coluna de ciências! E queremos falar com você da forma mais popular possível

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,

Ouça a matéria:

/ Reprodução

O Brasil de Fato MG inaugura nesta semana uma coluna dedicada à ciência! Será um espaço para discutirmos sobre as novidades, polêmicas e curiosidades do meio científico, da forma mais popular possível. Sinta-se convidado a participar, com sugestões, perguntas e críticas!

Certa vez o professor Rubem Alves disse que a ciência é “coisa boa”, no que estou plenamente de acordo. Mas adiciono que, muitas vezes, ela também pode ser “coisa boba”. Já me explico! Mas antes, vamos falar um pouquinho sobre o que é essa tal de ciência.

A ciência é um jeito de se construir o conhecimento. É uma forma de se olhar para o mundo e descobrir a verdade por detrás das coisas. Teve início lá no século 16, quando a humanidade começou a perceber que a dúvida, a razão e a curiosidade eram fundamentais para a sociedade. Quase cinco séculos depois, o pensamento científico tornou-se sinônimo de verdade. Já percebeu que, no jornal, quando querem falar que algo é verdadeiro, chamam um cientista para dar entrevista?

Quando crianças, somos danados pra sair perguntando o porquê de tudo. Com o passar do tempo, alguma coisa acontece que deixamos nosso lado cientista de lado. Um dos objetivos desta coluna é reacender em você um pouquinho desse seu lado. E todo cientista que se preze deve ter curiosidade. Deve também ser observador, olhar para algum evento e saber fazer uma boa pergunta. Em seguida, é preciso uma dose de criatividade. Bolar uma explicação. O próximo passo é testar a hipótese, por meio de um experimento. Só então, a partir dos resultados, é possível dizer se a hipótese estava certa. Basicamente, isso é o que chamamos de método científico. 

Essa postura curiosa de tentar entender o mundo a partir de um método sistemático trouxe grandes avanços para a humanidade. A partir da chamada revolução científica, diversas conquistas importantes surgiram. Por exemplo: há hoje uma relação direta entre o desenvolvimento econômico e o número de cientistas de um país; assim como é direta a relação entre o desenvolvimento científico e o aumento da expectativa de vida.

Acontece que a ciência, como tudo na vida, não é neutra. É feita por seres humanos, que estão inseridos em uma sociedade. A sociedade atual é marcada por uma enorme desigualdade, em que poucos têm muito e muitos não têm nada. E o conhecimento científico acaba por virar uma arma poderosa nas mãos desses poucos que dominam. Por isso que disse no início do texto que a ciência pode, às vezes, ser uma coisa bastante boba.

Mas, de maneira alguma isso deve servir para que larguemos mão dela. Até hoje, ela é a melhor forma que o ser humano construiu para conhecer o mundo. Nosso desafio é tornar a ciência cada vez mais algo popular e acessível, que traga satisfação para o povo e que esteja ao alcance de todos.

Nas próximas edições continuaremos essa prosa!

Um abraço e até lá!

*Renan Santos é professor de biologia da rede estadual de Minas Gerais

Edição: Joana Tavares