Cinema

Filme paranaense ganha prêmio de melhor curta no Festival de Brasília

“Tentei”, de Laís Melo, retrata a história de Glória, uma mulher que tenta denunciar a violência doméstica que sofre

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
O filme foi um dos 12 selecionados entre 608 produções inscritas para compor a mostra competitiva do evento / Jandir Santin

Um filme criado e produzido no Paraná destacou-se no Festival de Brasília do Cinema Nacional, em cerimônia de premiação ocorrida neste domingo (24). “Tentei”, dirigido por Laís Melo e construído por uma equipe encabeçada por mulheres, ganhou três prêmios da mostra competitiva de curtas nacionais, nas categorias de melhor filme, melhor fotografia - pelo trabalho de Renata Correa -, e melhor atriz  - pela atuação de Patricia Saravy. Clique aqui para ver o trailer

O curta foi um dos 12 selecionados entre 608 produções inscritas para competir no festival. A cerimônia encerrou a 50ª edição do evento, após dez dias de programação em diversos pontos da capital federal do Brasil.

Por uma arte representativa

Em “Tentei”, a história se volta à denúncia de uma realidade vivida por muitas mulheres: a protagonista, Glória, tenta confrontar uma relação abusiva, na qual é cotidianamente violentada pelo marido. “No cinema, minha intenção desde esses lugares de privilégios que acesso, de mulher cis e branca e que tem conseguido fazer arte, apesar das tantas dificuldades, é criar espaços de escuta e voz às mulheres da classe trabalhadora, periféricas, negras, lésbicas, bissexuais, transexuais, do campo, indígenas… mas acima, criar estratégias de 'fazer com', repensando os modos de produção”, propõe a diretora, Laís Melo.

Premiação

O Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, realizado pela Secretaria de Cultura do Distrito Federal, é um dos mais tradicionais eventos audiovisuais do país. Confira os vencedores da 50ª edição, na mostra competitiva:

 

Troféu Candango – Longas:

Melhor Filme: Arábia, dirigido por Affonso Uchoa e João Dumans

Melhor Direção: Adirley Queirós por Era uma vez Brasília

Melhor Ator: Aristides de Sousa por Arábia

Melhor Atriz: Valdinéia Soriano por Café com canela

Melhor Ator Coadjuvante: Alexandre Sena por Nó do Diabo

Melhor Atriz Coadjuvante: Jai Baptista por Vazante

Melhor Roteiro: Ary Rosa por Café com canela

Melhor Fotografia: Joana Pimenta por Era uma vez Brasília

Melhor Direção de Arte: Valdy Lopes JN por Vazante.

Melhor Trilha Sonora: Francisco Cesar e Cristopher Mack por Arábia

Melhor Som: Guile Martins, Daniel Turini e Fernando Henna por Era uma vez Brasília

Melhor Montagem: Luiz Pretti e Rodrigo Lima por Arábia

Prêmio Especial do Júri: Melhor Ator Social para Emelyn Fischer, por Música para quando as Luzes se apagam

Júri Popular ( Prêmio Petrobras de Cinema) longa-metragem: Café com canela, dirigido por Ary Rosa e Glenda Nicácio

 

Troféu Candango – Curtas:

Melhor Filme: Tentei, dirigido por Laís Melo

Melhor Direção: Irmãos Carvalho por Chico

Melhor Ator: Marcus Curvelo por Mamata

Melhor Atriz: Patricia Saravy por Tentei

Melhor Roteiro: Ananda Radhika por Peripatético

Melhor Fotografia: Renata Corrêa por Tentei

Melhor Direção de Arte: Pedro Franz e Rafael Coutinho por Torre

Melhor Trilha Sonora: Marlon Trindade por Nada

Melhor Som: Gustavo Andrade por Chico

Melhor Montagem: Amanda Devulsky e Marcus Curvelo por Mamata

Prêmio especial: Peripatético, dirigido por Jéssica Queiroz

Júri Popular – Curta-metragem: Carneiro de ouro, dirigido por Dácia Ibiapina

Edição: Ednubia Ghisi