Feira

MST realiza circuitos culturais e feiras da Reforma Agrária em estados do Nordeste

Em Pernambuco, atividades de lazer e cultura aconteceram entre os dias 13 e 16 de setembro, na cidade de Caruaru

Brasil de Fato | Recife (PE)

,
Os circuitos são marcados por valorizar a cultura popular camponesa e nordestina / Luisa Medeiros

Em celebração à resistência Sem Terra, expressando a arte e a cultura nordestinas, em defesa da agricultura camponesa e em prol da unidade campo e cidade, durante o mês de setembro, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) realizou em cidades de vários estados do nordeste circuitos culturais e feiras de alimentos da Reforma Agrária. Em alguns locais, como Bahia e Rio Grande do Norte, as comemorações também fazem alusão às datas de aniversário da luta do Movimento nesses estados.

Em Pernambuco, a Feira da Colheita da Reforma Agrária aconteceu entre os dias 13 e 16 de setembro no Centro de Formação Paulo Freire, no Assentamento Normandia, em Caruaru. O evento recebeu centenas de visitantes, que passaram pelo assentamento ao longo dos quatro dias para conferir de perto o resultado do trabalho realizado pelas famílias de agricultores em seus assentamentos e acampamentos. Além da comercialização em si de produtos e alimentos saudáveis, a programação contou com atividades variadas, como espaços de lazer, noites culturais, torneios esportivos, além de momentos de debates e estudo teórico sobre os desafios da reforma agrária popular e seu papel na saúde, na educação, para a juventude e para as mulheres.

De acordo com Cristiane Albuquerque, da direção estadual do MST em Pernambuco, as feiras da Reforma Agrária são importantes por permitirem que o MST estabeleça o diálogo com a sociedade sobre a construção da reforma agrária popular, além de ser uma maneira de divulgar a produção de alimentos nos assentamentos da reforma agrária e enaltecer a cultura nordestina. “A direita brasileira cria uma visão de assentamentos vazios, sem produção. Mas, na medida em que o MST organiza as feiras, divulga a própria realidade dos assentamentos e da produção de alimentos”, explica.

18ª Feira da Reforma Agrária em Alagoas

Entre os dias 06 e 09 de setembro, o MST ocupou a capital Maceió com cerca de 200 camponeses e camponesas de todo o estado, trazendo elementos da cultura Sem Terra num diálogo entre campo e cidade. Com um público estimado de mais de 50 mil visitantes, foram comercializados mais de 458 toneladas de alimentos saudáveis vindas de assentamentos e acampamentos das diversas regiões. A população também pôde participar dos festejos gratuitos, que trouxeram atrações como Geraldo Cardoso, Anderson Fidelis, Caçuá e o músico Siba.

Festividades dos 30 anos do MST na Bahia

Em comemoração às três décadas de luta e resistência do movimento no território baiano, o MST realizou, durante quatro dias de festas, atividades envolvendo atrações culturais, mesas de debate e produtos da Reforma Agrária. A festa teve início no dia 07 de setembro e reconstruiu os passos dados pelo MST desde a primeira ocupação, na madrugada de 07 de setembro de 1987 na fazenda 40 45, em Alcobaça. Diversos artistas ligados à cultura popular marcaram presença no evento, que reuniu mais de 1,2 mil trabalhadores e trabalhadoras Sem Terra de dez regiões da Bahia.

I Feira de Produtos da Reforma Agrária no RN

Em homenagem aos 27 anos do MST em solo potiguar, o Movimento realizou circuito cultural e sua primeira feira da Reforma Agrária no Rio Grande do Norte. As celebrações aconteceram entre os dias 13 e 17 de setembro, no Centro Estadual de Formação Patativa do Assaré, em Ceará Mirim. A programação contou com debates envolvendo temas como o feminismo popular e a participação da mulher na produção agroecológica, os desafios da conjuntura política atual, a cultura popular e a resistência Sem Terra, entre outros. Durante todas as noites, apresentações culturais e a expressão da arte potiguar subiram ao palco e deram o tom de festividade ao aniversário de 27 anos da luta Sem Terra no estado.

V Feira Estadual da Reforma Agrária em Sergipe

As atividades do MST em Aracaju estão agendadas para acontecer no próximo mês, na Praça Fausto Cardoso, no centro da capital sergipana. Durante os dias 24, 25 e 26 de outubro, será realizada a mostra de arte e cultura e produção da agricultura camponesa, com alimentos vindos dos assentamentos e acampamentos de todos território sergipano.

Edição: Monyse Ravena