Televisão

Novela | Séries exibem história do Brasil na TV

Tramas ajudam a aprender sobre a formação do país e conhecer desafios que se perpetuam desde os tempos de Cabral

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,

Ouça a matéria:

Série "Filhos da Pátria", que estreou na última terça (19) / Divulgação

Estreou na última terça (19) a série “Filhos da Pátria”, de autoria de Bruno Mazzeo e Alexandre Machado. O enredo se passa no período do pós-independência (1822) e apresenta a história da corrupção no país e nossa formação como povo brasileiro. A trama se desenvolve a partir da trama do português Geraldo Bulhosa (Alexandre Nero), um funcionário público que vive com a família no Brasil e que se envolverá em esquemas de corrupção. 

Como disse o ator Mateus Nachtergaele, que interpreta o personagem Pacheco, outra figura antiga nos esquemas ilícitos: “Na independência, um Brasil diferente poderia ter sido construído, mas o que se instala é a repetição do processo exploratório que os portugueses fizeram”. Sabemos bem do desconhecimento da maioria da nossa gente sobre a nossa formação enquanto nação e os inúmeros desafios que se perpetuam em nossa sociedade brasileira desde os tempos de Cabral e de Dom Pedro. Essa será uma boa oportunidade para compreendermos um pouco mais da história do nosso Brasil.

E por falar em história…

Na última segunda (18), foi ao ar o último capítulo da supersérie “Os dias eram assim”. A trama, que tinha como enredo a luta do médico Renato (Renato Góes) e Alice (Sophie Charlotte) para viver uma paixão, trouxe brilhantemente para a telinha a história do golpe militar de 1964, os seus desdobramentos e chega até a campanha pelas Diretas Já, em 1984. Detalhes e momentos importantes desse conturbado período político entrelaçaram de todos os personagens da supersérie, que soube bem mostrar as perversidades dessa época, mas também a luta e a resistência de muitos brasileiros. Surpreendente foi ver o casal principal, Renato e Alice, num salto histórico, participando de uma manifestação contra o atual governo ilegítimo de Temer, pedindo eleições diretas e percebendo que os dias de hoje, infelizmente, não mudaram tanto assim.

Duas boas séries produzidas pela Globo… Pena que o seu jornalismo, por outro lado, siga caminho totalmente contrário ao povo e à história!

*Felipe Marcelino é coordenador da distribuição do Brasil de Fato MG

Edição: Joana Tavares