PATRIMÔNIO PÚBLICO

Lula vai participar de ato em defesa da soberania nacional no Rio de Janeiro

Organizadores esperam mais de 20 mil pessoas em ato no Rio

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,

Ouça a matéria:

Marcha em defesa do patrimônio e da soberania nacional contará com a presença do ex-presidente Lula / Paulo Pinto / AGPT

Na próxima terça-feira (3), o centro do Rio de Janeiro será palco de uma grande marcha em defesa do patrimônio e da soberania nacional. O ato está sendo organizado pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e pela Frente Brasil Popular (FBP) e contará com a presença do ex-presidente Lula.  

A marcha ocorre num dia simbólico para a Petrobras. A empresa completa, no dia 3 de outubro, 64 anos de existência. Apesar do aniversário, não há o que comemorar. Desde a chegada de Michel Temer à presidência, a empresa que em 2010 chegou a ser a quarta maior do mundo, sofre um intenso processo de desmonte. Para o coordenador da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Zé Maria, o ato será uma oportunidade de dialogar com a população sobre a importância das empresas públicas para a economia brasileira.  

“O objetivo central é chamar a atenção para o desmonte que está sendo feito no Estado. O Estado brasileiro não investe mais. Esse é o pior comprometimento de investimento do Estado nos últimos dez anos. Além disso, queremos lembrar a importância das empresas estatais para um país, principalmente neste momento de desemprego, desaquecimento da economia e recessão,” afirma o coordenador da FUP. 

A FUP representa cerca de 100 mil trabalhadores do setor do petróleo no Brasil. Além dela, outra categoria que está mobilizada para a marcha são os moedeiros. A Casa da Moeda do Brasil está entre as 57 empresas disponibilizadas para concessão ou desestatização pelo Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Para o presidente do Sindicato Nacional dos Moedeiros, Aluizio Juninor, a instituição não tem dado prejuízo, muito pelo contrário.  

“A Casa da Moeda saiu de um faturamento bruto de mais 300 milhões em 2003 para em 2013 um faturamento de 2 bilhões e 900 milhões de reais e com a lucratividade de 780 milhões. Não tem sentido dizer que dá prejuízo. O dinheiro em espécie tem alto uso, apesar dos meios eletrônicos de pagamento. E aqui no Brasil, nós temos mais de 30% da população que não tem conta bancária e utiliza o dinheiro em espécie como forma de fazer o escambo,” destaca Junior. 

A concentração para a marcha em defesa da Soberania Nacional está marcada para a próxima terça-feira (3/10), às onze horas da manhã em frente ao prédio da Eletrobras, localizado na Avenida Presidente Vargas, no centro do Rio. Os manifestantes seguirão em caminhada até a Petrobras. A expectativa da organização é que o ato reúna mais de 20 mil pessoas. 

Edição: Vivian Virissimo