Europa

"Sim" vence referendo de independência da Catalunha; violência marcou votação

De acordo com o governo catalão, 770 mil cidadãos foram impedidos de votar pela polícia espanhola

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça a matéria:

Vice-presidente, Oriol Junqueras, conselheiro da Presidência, Jordi Turull, e Ministro das Relações Exteriores, Raül Romeva / Reprodução/Generalitat de Catalunya

Os representantes da Generalitat da Catalunha, sistema institucional que organiza politicamente o autogoverno do povo catalão, anunciaram neste domingo (1) que o "sim" venceu o referendo realizado pela independência da região. Segundo o órgão, o sim venceu com 90% dos votos dos cidadãos que conseguiram participar, frente a 7,8% contra.

O número representa o total de 2.262,424 catalães. Segundo afirmou Jordi Turull, conselheiro da Presidência, durante a cerimônia que anunciou os votos, 770.000 cidadãos não conseguiram exercer seu direito de participação porque 400 estações de voto foram seladas e a polícia espanhola tomou as cédulas dos locais.

O presidente da Generalitat, Carlos Puigdemont, anunciou que deve transferir os resultados ao parlamento nos próximos dias, para que a independência em relação à Espanha possa ser proclamada.

O separatismo da região não é tolerado pela Constituição da Espanha, nem pelas regras da União Europeia — bloco do qual o país faz parte. No entanto, o povo e as autoridades catalãs mantiveram a realização do referendo.

Ainda durante a cerimônia de anúncio do resultado parcial, o vice-presidente, Oriol Junqueras, declarou que a repressão usada pela polícia espanhola e pela guarda civil foi "sem precedentes". Ao todo, foram 844 pessoas feridas.

(*) Com informações do site oficial da Generalitat de Catalunya.

 

Edição: Simone Freire