Televisão

Coluna | Temas sociais na novela

Temática da identidade de gênero repercute na TV

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,
"A força do querer" teve a maior audiência desde 2013 no horário das 21h da Globo / Reprodução

"A Força do Querer”, folhetim que teve a maior audiência desde 2013 no horário das 21h da Globo, chega à reta final. Uma das características da trama é ser protagonizada não por um romance principal, mas por diversas histórias de mulheres (e claro, seus romances) especialmente as das personagens: Ritinha, a sereia do Pará (Isis Valverde), Bibi, a perigosa (Juliana Paes) e Jeiza, a PM linha dura (Paolla Oliveira). Mas, como já é esperado da autora, Glória Perez, os temas sociais foram o que deu pano pra manga. 

A temática da identidade de gênero foi a que mais repercutiu. Desconhecida da maior parte da população, o tema teve sequências bem cuidadas, apresentando didaticamente para os telespectadores esse universo. A transição de Ivana para Ivan (Carol Duarte) pôde ser acompanhada passo a passo, com seus dilemas, conflitos e descobertas. Paralelo à identidade de gênero, a travestilidade foi também apresentada pelo motorista Nonato/travesti Elis Miranda (Silvero Pereira) com as reações homofóbicas do seu patrão Eurico (Humberto Martins). 

O tráfico de drogas (tema muitas vezes explorado nas novelas) foi o pano de fundo para a mudança da personagem de Juliana Paes para Bibi, a perigosa, acompanhando o seu marido nos morros cariocas. As contradições e consequências do mundo do crime foram expostas, gerando sempre as polêmicas de acusação de apologia. Nesse universo, Jeiza (Paolla Oliveira) apresentou os dramas enfrentados por policias no combate ao tráfico. 

Junto a esses dois, diversos outros temas que expõem questões sociais apareceram na trama. Correspondendo a 25% da programação e com as maiores audiências da TV, as novelas podem ser um bom palco para tratar de causas sociais. Possivelmente, este elemento colaborou muito para o sucesso da novela. 

O nome para isso é merchandising social, em que se busca “vender” um produto (no caso a novela) associando-o a alguma causa ou tema social. O interessante é que, mesmo podendo ser uma estratégia de marketing, algumas vezes as novelas difundiram importantes debates entre a população, promovendo mudanças na sociedade. Claro que nem sempre elas são positivas, mas se rende reflexão, já é um passo importante.

*Felipe Marcelino é coordenador da distribuição do Brasil de Fato MG

Edição: Joana Tavares