Privatizações

Editorial | Governo Richa também quer desmontar empresas públicas

Acordo assinado com o BNDES prevê planejamento e estruturação de projetos de desestatização

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Governador Beto Richa sinalizou a venda de 44 empresas públicas / Ricardo Almeida_ANPr

A política nacional de privatizações é reproduzida nos estados e nos municípios. No Paraná, o governador Beto Richa (PSDB) sinaliza a venda de 44 empresas públicas. O governo assinou o Acordo de Cooperação Técnica (n. 16.2.0569.13) com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para “planejamento e estruturação de projetos de desestatização”, o que na prática privatiza empresas estratégicas - acordo revelado por reportagem do Livre.jor.

A medida se encaixa no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), lançado pelo governo golpista de Temer (PMDB), em 2016, e coordenado por Moreira Franco, da secretaria-geral do governo, acusado de corrupção. O PPI englobou o Plano Nacional de Desestatização (PND), lançado nos anos 1990, plano que já havia trazido prejuízos à economia brasileira.

O governo do Paraná assinou também um “protocolo de intenções” com a Copel e a Shell para a criação de um plano de expansão da oferta de gás natural, que pode significar o controle de empresas privadas sobre a Compagás.

Os paranaenses já realizaram luta intensa, no ano de 2001, contra a privatização da Copel, reafirmando a importâncias das empresas públicas, devido aos investimentos sociais e ao planejamento para o desenvolvimento econômico.

 

Edição: Pedro Carrano