Paraná

Greca estuda aumentar número de crianças por sala nos Centros Municipais de Educação

Servidores públicos apontam riscos à segurança nos cmeis, qualidade do ensino e prejuízos ao desenvolvimento da criança

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
"Será que é aumentando o número de crianças por sala que o prefeito pretende resolver o deficit de vagas?”, questiona diretora do Sismuc / Imprensa Sismuc

Não bastassem os problemas estruturais, com paralisações de obras e unidades sem uso, o prefeito Rafael Greca (PMN) pretende aumentar o número de crianças em sala de aula nos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis), reduzindo também o número de profissionais no cuidado das crianças. Dado o aumento da demanda, o número atual de trabalhadores já é insuficiente. 

“Tem cmeis em que profissionais já ficam sozinhos em alguns períodos, caso do horário do sono, quando duas professoras saem para almoçar ou para o lanche”, relata Soraya Cristina, professora de educação infantil. 

Mudança criticada 

A mudança aconteceria com a alteração da deliberação número 02/2012 do Conselho Municipal de Educação, que versa sobre dimensionamento das turmas e relação professor/criança. 

Servidores municipais apontam o risco de alteração do número de crianças por profissionais em sala de aulas nos cmeis, diminuindo também o número de profissionais de maneira geral. 

“Será que é aumentando o número de crianças por sala que o prefeito pretende resolver o deficit do número de vagas?”, questiona Adriana Kalckmann, professora de educação infantil, referindo-se à longa lista de espera, que chega a 10 mil crianças. 

Organização das turmas 

A gestão quer mudança do número de crianças por profissional. Isso vai afetar também a organização das turmas. Na turma B1 (berçário) hoje são 15 crianças ao total e cinco por professor. No entanto, chega a alcançar no total 18 crianças. Com essa nova diretiva da gestão, pode-se regulamentar a atual arbitrariedade. 

Uma das novidades está no maternal 1, com a proposta de dez crianças por profissional, em um limite de 30. O limite atual nesta modalidade é de um profissional para 8 crianças, em um total de 24 crianças em sala. 

Número necessário passa por contratação de professores 

Pelo dimensionamento médio de um cmei, seriam necessários 19 profissionais, contando com equipe de permanência, para preencher um equipamento público. 

Em média, então, para 18 novas unidades na cidade (doze prontas e seis em construção) de cmeis, seriam necessários somente 340 funcionários convocados, em concurso realizado em 2014. 

Edição: Ednubia Ghisi